A publicidade nos dias atuais tem sido responsável por diversas informações no âmbito social. O que chama a atenção são diversas propagandas que circulam o Brasil e o mundo com conteúdo diverso para adultos, jovens ou crianças que viralizam rapidamente tanto na televisão quanto nas redes sociais. Ultimamente, um desenho animado intitulado #festa da salsicha, aparentemente para crianças, tem causado muito desconforto entre os pais, pois, ao ver inicialmente, não demonstra tanta imoralidade quanto no decorrer do desenho.

Sua indicação é para maiores de 16 anos e somente é exibido em canal pago, mas muitos relatam já ter visto abertamente no Facebook ou no YouTube, constatando ser um vídeo meramente erótico e explícito para todos os telespectadores.

Publicidade
Publicidade

A animação é transmitida pelo canal HBO.

Em seu conteúdo é abordado cenas diversas, entre elas incluem o homossexualismo, sexo grupal, linguagem depravada e outras situações impróprias para a faixa etária que costuma assistir vídeos de desenhos animados.

A Festa da Salsicha é um diálogo entre alguns produtos em uma prateleira de supermercado no momento em que estão secretos. Os produtores afirmam que não foi nada feito com requintes de edição e que umas meras contribuições de amigos renderam um orçamento de US$ 19 milhões (aproximadamente R$ 61 milhões) para realizar o curta-metragem. Entretanto, até o momento nos Estados Unidos foi um dos vídeos mais vistos na web, onde rendeu em torno de US$ 96 milhões [VIDEO] (o equivalente a R$ 306,5 milhões).

O produtor fala que o #Filme teve o intuito de fazer com que as pessoas usassem a imaginação em questionar o fato de que "se a comida falasse, o que ela diria?" Desse modo, ele aborda que não somente o superficial, mas também outros questionamentos no decorrer do filme.

Publicidade

Diante disso, o número de pessoas que criticam o curta metragem tem crescido dia após dia. “É inaceitável, ainda mais pelo horário em que esse desenho é transmitido em um canal de TV, além do mais, esse desenho tem sido facilmente encontrado no YouTube, facilitando o a visualização de nossos filhos. Eu acho que usar de desenhos animados para transmitir esse tipo de conteúdo é um verdadeiro desrespeito com as famílias que prezam os bons costumes”, comentou uma internauta.

E você, qual a sua opinião sobre o curta metragem? Você acredita que esse tipo de conteúdo pode influenciar os menores para alguma prática libidinosa?