O padre Fábio de Melo é considerado por milhões como uma das figuras de maior influência nos últimos tempos, independente da religião dos seguidores. Ele enfrenta uma fase muito difícil e hoje, em uma #entrevista no 'Fantástico', divulgou detalhes sobre sua doença, conforme prometido a sua legião de fãs que iria se pronunciar quando estivesse bem e preparado para falar sobre sua doença, a #síndrome do pânico.

Padre Fábio de Melo pensou em desistir

Em uma de suas falas, o padre disse que a doença estava dando uma angústia [VIDEO]. Ele disse que tem um papel muito importante de representar a "figura" do Padre Fábio de Melo, mas estava com a fé abalada e pensou seriamente em não ser mais padre, pois não conseguia mais enfrentar as pessoas.

Publicidade
Publicidade

Síndrome do Pânico

O padre agradeceu o apoio dos fãs e disse que iria falar sobre seus problemas quando estivesse se sentindo melhor e confiante. "Estou bem melhor, graças a Deus, medicado, vivendo um processo de recuperação diária", disse. A doença começou há dois anos e a última crise foi agora no final de julho, quando o padre, ao desembarcar de um avião em Fortaleza, teve sintomas idênticos aos que já havia sentido anteriormente, mas tomou os medicamentos e conseguiu realizar normalmente suas atividades.

Na segunda-feira posterior ao ocorrido, o padre teve uma nova recaída ao sair do carro e disse: "às vezes, eu me pegava me escondendo embaixo da cama de tanto pavor que ele sentia". O transtorno de Síndrome do Pânico ataca inesperadamente e pode ser em qualquer lugar, na casa, no trabalho ou por exemplo, na rua.

Publicidade

O refúgio encontrado pelo padre Fábio de Melo [VIDEO] foi sua mãe. "Teve um dia que o desespero era tão grande, que eu não queria falar com outra pessoa a não ser ela", disse. O padre disse que possui grande responsabilidade, porém, ainda é o "Fabinho" para sua mãe.

Padre está melhor e seguindo sua agenda

Apesar desta batalha parecer difícil, o padre já está medicado e está dando a volta por cima. Ele está cumprindo sua agenda normalmente com os pés nos chão. "Eu tenho que pensar que eu vou dar conta, que isso não é um bixo de sete cabeças, ajudado pela química que já no meu organismo", disse o padre.

Perguntado se ele tem medo de uma nova crise, ele foi direto "Eu tenho medo do medo". O intuito do padre de explicar todo seu sofrimento é tentar ajudar pessoas que passam pelo mesmo mal. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, em torno de 9% da população (mais de 18 milhões de pessoas) sofrem com algum transtorno de ansiedade.

Está notícia foi útil? Comente, siga e compartilhe. #fabio de melo