Publicidade
Publicidade

Segundo informações divulgadas pela CNBC hoje (8), a #Disney pretende lançar seu próprio serviço de #streaming em 2019 nos Estados Unidos e, posteriormente, nos outros países.

O catálogo deverá trazer os novos longa-metragens como Toy Story 4 e Frozen 2 - continuações aguardadas pelo público -, séries dos canais Disney Channel, Disney XD e Disney Jr, e os novos filmes da Marvel Studios, da franquia de Star Wars e animações futuras da Pixar. Além disso, a empresa poderá investir em seriados animados e live-action e conteúdos para a a nova plataforma de streaming.

Assim, os títulos da empresa serão retirados da Netflix até 2019.

Publicidade

Porém, até o momento, apenas o contrato com produções da Disney não serão exibidos pela plataforma. Discussões sobre as franquias de Star Wars e a Marvel Studios ainda estão acontecendo com a Netflix.

ESPN

A Disney também anunciou que focará em uma plataforma de streaming esportiva, com o canal ESPN, canal de esportes presente em diversos países do mundo. Segundo Robert Iger, CEO da empresa, as duas iniciativas marcarão o começo de uma nova estratégia na companhia. Ambas as novas empreitadas são para competir tanto com a Netflix quanto Amazon e Hulu, as outras plataformas de streaming conhecidas no resto do mundo e com destaque em premiações de TV e cinema.

Para Iger, ambos os conteúdos presentes nas futuras plataformas de streaming são uma aposta melhor do que continuar com contratos com outras distribuidoras.

Publicidade

Outro fator divulgado pelo CEO é a queda de assinantes apresentada nos últimos anos pela ESPN.

A empresa promete ainda, mais de 10 mil eventos esportivos regionais, nacionais e internacionais transmitidos pela plataforma, com pacotes individuais disponíveis. A Disney planeja vender os dois tipos de inscrição para os assinantes.

Enquanto a Disney acredita que a plataforma para animações e longa-metragens devem acontecer somente em 2019, o canal esportivo deverá ter a novidade logo em 2018. Assim, a empresa se tornou a sócia majoritária da BAMTech, companhia de tecnologia de streaming da MLBAM, lançada pela Major League Baseball. Segundo informações do the Hollywood Reporter, essa aquisição foi de US$ 1.58 bilhões e 75% das ações da companhia - que ainda estão em fase de regularização.

Outras informações devem ser divulgadas em breve, quando detalhes sobre cada plataforma serão divulgados pela própria companhia.