Um caso no mínimo curioso aconteceu na manhã dessa quarta-feira (9) na cidade de São José das Palmeiras, interior do Paraná. O falecido Neimar Bonetti, de 44 anos, estava sendo velado pela sua família e amigos quando observaram nele alguns sinais vitais. A comoção tomou conta dos que estava presentes ao cogitarem que Neimar ainda poderia estar vivo.

Neimar havia sido dado como morto pelos médicos. No entanto, o mal entendido começou quando os familiares perceberam que o corpo ainda estava quente. [VIDEO] Para não ter dúvida sobre seu óbito, familiares chamaram um médico da cidade para examinar Neimar e ver o que estava acontecendo.

Publicidade
Publicidade

Porém, para a surpresa de todos, o médico também ficou em dúvida. Através do oxímetro (aparelho usado para medir frequência cardíaca), o doutor observou que ainda havia sinais de batimentos cardíacos em Neimar.

Todos que estavam no #Velório chegaram a cogitar um possível #milagre. O médico, então, decidiu fazer a remoção do corpo até o hospital da região. No entanto, para a tristeza dos amigos e da família, a equipe médica do hospital confirmou que Neimar, realmente, estava morto.

Como explicação para os batimentos cardíacos, o médico que suspeitou que Neimar estava vivo explicou que é normal, após o óbito, o coração apresentar alguma atividade elétrica, porém, não significa que a pessoa esteja viva.

"O coração depois do óbito ainda pode emitir uma atividade elétrica... Eu fui acionado junto com uma enfermeira e levei um oxímetro que constatou o pulso, mas precisei levar para o hospital para confirmar.

Publicidade

Se estivesse vivo, nós tomaríamos as providências..." — explicou o médico.

A responsável pela funerária, Terezinha Maria, que preparou o corpo de Neimar disse que não tinha dúvida alguma que Neimar estava morto. Porém, em respeito à família, ela não insistiu no assunto. Ela relatou que, devido aos procedimentos de preparo, era impossível Neimar estar vivo.

Terezinha falou que o corpo havia passado por um procedimento chamado tanato. Ela explica que, nesse procedimento, todo o sangue e fluídos corporais são retirados do corpo, então, Neimar estar vivo era praticamente impossível. Terezinha disse então que foi para casa e ficou aguardando o momento de voltar com o corpo para o caixão.

Neimar foi enterrado na tarde dessa quarta-feira (9) na cidade de Santa Helena, que fica a 609 km de Curitiba. A pequena cidade parou ao saberem do caso de Neimar.