Publicidade
Publicidade

Nasceu na madrugada desta quarta-feira (9) o primeiro filho de Karina Bacchi. A apresentadora já havia divulgado que seu filho nasceria em Miami, Estados Unidos. Tanto a mãe quanto o filho passam bem e aguardam a alta médica.

Em seu Instagram, a apresentadora fez uma homenagem ao filho e falou da felicidade que estava sentindo. “Minha maior riqueza. Enrico, bem vindo! Que experiência mais poderosa essa de dar Vida a você meu filho, meu anjo. Temos sido cúmplices desde que você foi encaminhado a mim.”, escreveu a apresentadora.

Karina também falou um pouco da sua gestação. Ela diz que passou por alguns momentos difíceis na gravidez, no entanto, não teve dúvidas de que ele nasceria bem.

Publicidade

“Vc sabia que minhas roupas se encheram de bolinhas na região da barriga de tanto eu acariciar vc?", escreveu.

Ela relatou que na reta final da gestação ficou ainda mais ansiosa para conhecê-lo. Ela ainda falou que o filho foi muito bom para ela. Ela diz não ter sentido enjoos, ânsias e que não teve estrias, como geralmente acontece com as grávidas.

Muito estava se questionando sobre o pai do bebê. No entanto, há alguns dias, Karina deu uma entrevista para o apresentador Gugu Liberato e disse que não engravidou da maneira convencional e sim através de inseminação artificial.

Ela diz que, por orientação médica, procurou por bancos de doadores de sêmen no Brasil e no exterior. Ao analisar as possibilidades, acabou optando por bancos fora do Brasil. Segundo Karina, os bancos de fora fornecem mais informações sobre o pai.

Publicidade

Ela disse que escolheu um doador que tivesse características físicas e psicológicas parecidas com as dela. "Não sei o nome real, onde mora, telefone... A foto eu tenho para mostrar para o meu filho, vou fazer questão que ele saiba tudo da história dele", disse.

No entanto, ao ser divulgado que Karina havia dado à luz, muitas pessoas se posicionaram contra esse tipo de gravidez. “Uma pena que nunca vai conviver e nem conhecer o pai. Mas mesmo assim parabéns”. Outra pessoas escreveu: “Não vejo beleza nenhuma em comprar um embrião. Uma mulher saudável, bonita e rica não tem capacidade de ter um relacionamento? Credo.”

“Acho válido uma mulher que tem um filho e cria sozinha, como eu criei o meu, porque o babaca do pai não assumiu, agora ir para um banco de Esperma escolher um doador estrangeiro, 'testar' o filho só e depois Parir em Miami? Ah, me poupe”, escreveu outra internauta. #karinaBacchi #Maternidade