Ty nasceu Orison Whipple Hungerford Jr., em 01 de janeiro de 1930.

Embora nascido em Nova York, ele foi criado no Texas. Após cumprir o serviço militar e lutar na Guerra da Coréia, começou a ter aulas de interpretação. Buscando por chances de trabalho como ator, mudou-se para a Califórnia. Ele estreou no cinema no filme "B" Mensagem do Planeta Desconhecido (The Space Children, 1958). Ele seguiu atuando em filmes de baixo orçamento, feitos para o público de "Drive inns", como Casei-me com um Monstro (I Married a Monster from Outer Space, 1958). Foi na televisão que conseguiu papéis melhores, quando foi convidado para estrelar a série Bronco (1958-1962), na ABC.

Publicidade
Publicidade

Ele interpretava o cowboy Bronco Layne.

Apesar do sucesso na televisão, não conseguiu grandes oportunidades no fim da série. Ele chegou a fazer teste para o filme Rio Bravo (Idem, 1959), mas perdeu o papel para o cantor Ricky Nelson.

Ty geralmente ficou relegado a papéis de "beefcake", destinado a homens bonitos que apareciam sem camisa. Atuou em A Vida Íntima de Quatro Mulheres (The Chapman Report, 1962), Suplícios do Destino (Wall of Noise, 1963), Os Bravos Não se Rendem (Custer of the West ) e Espetáculo de Sangue (Berserk, 1967), onde fez par romântico com Joan Crawford, já em decadência.

Sem grandes chances de trabalho, mudou-se para a Europa onde estrelou diversos "westerns spaghetti", como Olho Por Olho, Dente por Dente (Il giorno del giudizio, 1971) e Um Homem Chamado Sacramento (Sei iellato, amico hai incontrato Sacramento, 1972).

Publicidade

Ele nunca deixou de atuar, mas suas aparações esporádicas em filmes posterior passaram quase que despercebidas. Seu último trabalho no cinema foi em Head Over Spurs in Love (2011), uma produção independente, nunca exibida no Brasil.

Depois que sua carreira de ator decaiu, Ty Hardin tornou-se um auto-proclamado "lutador pela liberdade" na década de 1970. Ele liderou um grupo radical de direita chamado "The Arizona Patriots", um grupo anti-semita, anti-imigrante, contra os negros e contra funcionários públicos e o governo em geral, que defendia o uso de armas. Ele também abriu uma escola que ensinava a sonegar impostos como meio de protesto fiscal. Também editava jornais e revistas onde disseminava suas controversas ideias.

Em 1986, o FBI invadiu sua organização e confiscou as armas, documentos e publicações ilegais que pregavam o ódio. Ele deixou o Arizona e o grupo foi extinto. #Hollywood #Obituário #Memória Cinematográfica