Após a morte de Pablo Escobar, interpretado majestosamente pelo ator brasileiro Wagner Moura, o tráfico de drogas na Colômbia fica sem um líder, mas tem bastante gente de olho nesse cargo. Os Cavalheiros de Calí, como ficaram conhecidos os chefes do cartel de Cali Gilberto (Damian Alcazar), Miguel (Francisco Denis), Pacho (Alberto Ammann) e Chepe (Pepe Rapazote) reivindicam o posto. Seu estilo é diferente de Pablo, eles agem quietos, corrompendo a polícia e tentando diminuir a atenção da mídia em cima de seus negócios.

Mas se engana quem pensa que eles são bonzinhos. Os que se atravessam em seus caminhos são eliminados de forma cruel para que sirva de exemplo aos demais.

Publicidade
Publicidade

Nesta época de falsa paz, o agente Javier Peña (Pedro Pascal) e sua equipe terão que trabalhar muito mais para desmantelar os negócios que contam com táticas cada vez mais ardilosas e implacáveis.

Na terceira temporada, Pedro Pascal é alçado ao título de protagonista, o policial, que segue métodos ortodoxos e muitas vezes contestáveis, tem uma responsabilidade e tanto em substituir um personagem tão ambíguo, complexo e interessante, que foi Pablo Escobar. Porém, ele também não é um mocinho todo certinho, durante as primeiras temporadas vimos como essa guerra mexeu com sua conduta, e agora, diante de organizações, cada qual com mais poder, tanto nas ruas, como influenciando os que governam o país, sua maneira de trabalhar nem sempre vai seguir os procedimentos mais corretos esperados de um policial.

Publicidade

Enredo a ser desenvolvido há, pois o tráfico seguiu com muita força mesmo sem Escobar. Com muita perseguição policial, tiros e estratégias a trama continua eletrizante como as demais temporadas e ainda vai contar com personagens novos. Os destaques certamente ficam por conta de Miguel Angel Silvestre (Sense8) e Michael Stahl-David (Cloverfield: Monstro).

Com a terceira temporada pronta para estrear e quarta confirmada pela #Netflix, o diretor brasileiro José Padilha ("Tropa de elite") e o americano Eric Newman ("Filhos da esperança") seguem como produtores executivos da trama.

A história conta a trajetória da cocaína da Colômbia para os Estados Unidos e Europa em meados dos anos 80. A formação dos cartéis instaurou a violência para o povo colombiano e tornou seus chefes os homens mais ricos do mundo. A série estreou em 2015 e foi sucesso de audiência e crítica.

Ficamos no aguardo das emoções que estão por vir. #narcos #3temporada