Considerado uma das maiores vozes da música sertaneja, o cantor e compositor #Cristiano Araújo faleceu na madrugada do dia 24 de junho de 2015, com apenas 29 anos de idade.

Vítima de um acidente automobilístico quando voltava de um show em Goiânia, Goiás, o cantor, que vinha sentado no banco traseiro de um carro de passeio ao lado de sua namorada, a jovem, Allana de Moraes, de 19 anos, não resistiu aos ferimentos causados por uma forte batida e devido ao fato de estar sem cinto de segurança, e acabou perdendo a vida juntamente com sua namorada.

A morte do cantor sertanejo em pleno auge da fama, mobilizou e comoveu uma verdadeira legião de brasileiros que o acompanhavam, bem como admiravam seu trabalho.

Publicidade
Publicidade

Na época do falecimento do casal, diversas imagens retratando os mesmos sem vida começaram a circular na internet e nas redes sociais [VIDEO].

Parte das imagens foram gravadas durante a autópsia dos corpos, realizada por peritos do IML, que durante o trabalho de examinarem e prepararem o corpo do artista, tiraram dezenas de fotos, retratando detalhes dos ferimentos, bem como expondo de maneira fria e um tanto quanto insensível, o cadáver de Cristiano Araújo.

Na época em que as imagens começaram a circular na web, uma onda de indignação tomou conta de seu público que junto aos familiares e amigos do artistas, pediam punição para os expositores das imagens, bem como que as mesmas fossem banidas definitivamente da internet.

Entrando com pedidos de exclusão do conteúdo virtual tido como impróprio e totalmente doloso aos que amavam o artista, o advogado contratado pela família Araújo, Rafael Maciel, lutou bravamente na Justiça de Goiás para que seus clientes pudessem ser poupados de imagens de Cristiano morto.

Publicidade

Após muito ser analisado, o pedido de exclusão das mídias virtuais com imagens de Cristiano Araújo sem vida, teve sua liminar negada no final do mês de julho pelo Tribunal de Justiça de Goiás, sob a justificativa de que banir e impedir de que um indivíduo tenha acesso a conteúdos online, equivale a tirar do mesmo o direito de liberdade, impondo a censura, proibida pela Constituição vigente no Brasil desde o ano de 1988 .

Inconformado com a resposta do tribunal, Rafael Maciel rebateu a decisão judicial, afirmando durante uma entrevista cedida ao jornal 'Folha de São Paulo', que o mesmo contestará da decisão que libera a circulação de imagens de Cristiano Araújo livremente na internet. #Cristiano Araújo morto necrópsia #corpo Cristiano Araújo