Prestes a dar à luz, a apresentadora #Eliana aguarda ansiosa o momento de poder pegar sua pequena Manuela nos braços. Nos últimos meses, a loira vive sob muita tensão e em repouso absoluto, pois sua gravidez é considerada de risco devido a um descolamento de placenta.

É a segunda gestação de Eliana, que é mãe de Arthur (6), filho de um antigo relacionamento [VIDEO] com João Marcelo Bôscoli. Hoje, ela está noiva do diretor Adriano Ricco, com quem espera sua primeira filha menina.

No entanto, a apresentadora que estampou a capa da revista “Contigo” do mês de setembro, revelou em entrevista que não é a primeira vez que ela sofre com problemas na gestação e surpreendeu ao dizer que já sofreu um #aborto espontâneo no ano passado (2016).

Publicidade
Publicidade

Ela também disse que esta gestação foi muito desejada, já que seu noivo Adriano ainda não era pai, e ela, por já ser mãe do Arthur, sabia que esse era o momento para ela ter outro, pois já tem mais de 40 anos. Ela disse então que no ano passado, depois de muita conversa e planejamentos, ela acabou engravidando, e os dois comemoraram muito a novidade. Porém, essa alegria durou pouco tempo, no segundo mês ela teve um aborto espontâneo.

Apenas amigos e familiares muito próximos do casal ficaram a par do que eles viveram. Ela também comenta que esse é um tema pouco falado e que as mulheres ou o casal que vivem esse drama de perder um filho ainda durante a gestação geralmente vivem esse luto de forma contida e silenciosa.

Mas não desistindo do sonho, os dois tentaram novamente e ela engravidou.

Publicidade

Entretanto, em março deste ano ela precisou passar por uma cirurgia para manter a gravidez de Manuela. Por ter o colo do útero considerado curto, ela passou por uma “Cerclagem”, que garante que o bebê fique seguro dentro do ventre da mãe.

Ela contou ainda que nesse período não pôde curtir a barriga e que aprendeu que a obstetrícia não é uma ciência exata, pois cada mulher tem suas particularidades e cada organismo reage de uma forma, então tudo que ela tinha eram incertezas. E também fala em ter sentido um pouco de revolta, por não entender por que estaria passando por essa fase tão complicada.

Mas que então fez o possível para garantir o bem-estar da criança dentro do útero, cuidando ao máximo de sua própria saúde. E hoje, já na reta final da gestação, seu sentimento é de gratidão por ter passado por todas as dificuldades e chegar nesse momento de receber a filha tão querida e esperada pelo casal. “Pode chegar Manuela. Hoje sua mãe é melhor do que ontem”, completa Eliana. #revela