Publicidade
Publicidade

Vinte e cinco anos após deixar o Palácio do Planalto ao lado do então marido, Fernando Collor de Mello, que sofreu um processo de impeachment por corrupção, Rosane Malta abriu o jogo em uma reportagem publicada pelo jornal Extra nesta sexta-feira (29), sobre seu relacionamento com o ex-presidente e sua vida atual. Ela, que ainda luta na Justiça pelo pagamento de pensões alimentícias e partilha de bens, disse que quando se depara com notícias sobre o envolvimento de seu ex-marido em esquemas de corrupção atuais, sente que recebeu um livramento de Deus por não estar mais ao seu lado e ressaltou que Collor de Mello vai pagar por todos os seus erros.

Publicidade

Rosane Malta mora atualmente em Maceió, no estado de Alagoas, local onde nasceu e conheceu Fernando Collor. Atualmente, ela segue a rotina de organizar encontros de caridade e escrever o rascunho de seu segundo livro. Além disso, Malta revelou que recebeu alguns convites para ingressar na carreira política, mas não negou e nem aceitou ainda. A ex-primeira-dama frisou que caso se candidate, irá disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados de Brasília, na qual pretende legislar pelas mulheres e dedicar seu trabalho à educação. Mas antes, ela deseja que o processo movido contra Collor termine o mais rápido possível, pois só assim irá se sentir segura para reescrever sua história.

Ao ser questionada sobre o processo de impeachment sofrido pelo ex-marido e sua suposta participação como cúmplice, Rosane garantiu que jamais esteve envolvida nos esquemas de Collor, inclusive, ela alegou que confiava muito na palavra de seu marido na época e até chegou a acreditar que ele seria inocente.

Publicidade

Hoje, 25 anos após o episódio que chocou o país, Malta ri de sua imaturidade na época, disse que se soubesse de todas as falcatruas de Fernando, jamais teria se casado com ele.

Fernando Collor de Mello pode ter enganado milhares de brasileiros que acreditavam em seu mandato, mas nunca enganou seu sogro, pai de Rosane. De acordo com ela, seu pai sempre a alertou sobre o temperamento do ex-presidente, mesmo antes do casamento. Mas aos 19 anos, Malta estava apaixonada por Fernando e preferiu ignorar os avisos de seu pai.

O processo

Sem exercer a profissão de administradora, a qual é graduada, Rosane Malta era sustentada pelo marido durante todo o tempo em quem estiveram juntos. Após 22 anos de casamento, ela venceu um processo na Justiça [VIDEO] no qual pediu 30 salários mínimos, o equivalente a R$ 28 mil, que deveria ser pago religiosamente todos os meses, entretanto não foi bem assim que aconteceu. No novo processo [VIDEO] movido por ela, Rosane exige o pagamento retroativo com correções e juros de todos os meses atrasados. Ela revelou que sente vontade de ingressar no mercado de trabalho, mas que no Brasil não há quem empregue uma ex-primeira-dama. #Famosos #Fama