Diante da grave crise política devido à corrupção epidêmica arraigada nos velhos coronéis que se apoderaram do poder, milhares de brasileiros acreditam que o #militarismo e/ou a volta da #Ditadura seria a única solução viável, e o cantor sertanejo #Zezé di Camargo, que faz dupla com seu irmão Luciano, também acredita nisso.

De acordo com o portal de notícias ‘’G1’’, o cantor Zezé Di Camargo em entrevista para a jornalista Leda Nagle, em seu canal no YouTube, afirmou creditar que somente o retorno do militarismo poderia colocar o Brasil nos trilhos. Apesar de se dizer bastante politizado, o cantor afirmou que a era do militarismo e/ou ditadura no país foi bastante tranquila, e que quem se opunha ao regime militar não era perseguido.

Publicidade
Publicidade

Será mesmo que Zezé Di Camargo frequentou todas as aulas de história?

‘Nunca chegou a ser uma ditadura daquelas’

O cantor afirmou para Leda Nagle que já foi sondado várias vezes por diversos partidos políticos para que pudesse se tornar um candidato. Porém, ele teria recusado sempre. Zezé, que completou 55 anos há poucos dias, se considera bastante politizado, mas não tem nenhum interesse em ocupar cargos públicos.

Durante a entrevista, o cantor revelou que sob seu ponto de vista, a volta do militarismo seria a melhor solução para o momento em que o Brasil se encontra. Segundo ele, existe uma grande diferença entre o militarismo e a ditadura. Aos olhos do cantor, ditadura é o regime empregado na Venezuela, Cuba, Coreia do Norte, entre outros países, Zezé acredita que o Brasil viveu um "militarismo vigiado".

Publicidade

"O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você está a favor ou você está morto", afirmou o sertanejo que vive confortavelmente graças à fortuna acumulada durante todos os anos de sucesso em sua carreira musical.

Prisões e tortura

Leda Nagle até que tentou mostrar para Zezé que a era do militarismo no Brasil também foi violenta, falou das prisões daqueles que se opunham ao regime, das torturas nos calabouços da ditadura [VIDEO] e das mortes. Mesmo assim ele afirmou que "não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta".

Em sua concepção, o militarismo faria uma depuração do meio político e que depois nos devolveria a democracia sem nenhum tipo de problema. "O Brasil até poderia pensar no militarismo para reorganizar a coisa e entregar de novo. Limpamos essa corja, toma aqui o Brasil democrático".

Assista ao vídeo com a entrevista:

Internet se revolta

O sertanejo disse que muita gente vai chamá-lo de louco por acreditar que o militarismo é a melhor saída e que certamente será bastante criticado por ter coragem de dar sua opinião [VIDEO].

Publicidade

Neste ponto ele realmente acertou, o cantor provocou a ira em muitas pessoas, veja as reações na internet: