Publicidade
Publicidade

Aos 65 anos de idade, o jornalista William Waack [VIDEO]passa por um dos momentos mais difíceis de sua carreira. Nesta quarta-feira (8), passou a circular pela internet um vídeo em que o apresentador do “#Jornal da Globo” faz comentários de cunho racista antes de uma entrevista que iria ao ar.

Racismo é crime

Durante a cobertura das eleições norte-americanas, no ano passado, #William Waack se preparava para fazer uma entrevista quando um carro passou buzinando próximo ao local onde estava. Os estúdios da Globo estavam à frente da Casa Branca, no Wilson Center, em Washington. O carro passou na avenida lá embaixo.

Waack se vira para trás e dispara xingamentos. [VIDEO] “Está buzinando por que seu m***, do cac***”, dispara, afirmando em seguida que não vai nem dizer quem é.

Publicidade

Neste momento ele vira-se para o entrevistado e afirma “é preto”, em tom bem baixo.

Tão baixo que o entrevistado não ouve e inclina-se em sua direção para entender o que o apresentador do “Jornal da Globo” falou. “É preto, né?”, dispara Waack. Paulo Sotero, diretor do Brasil Institute, sorri.

O ato de William Waack, que afirmou, em nota, não se lembrar do que disse, mas mesmo assim aproveitou o momento para pedir desculpas, pode ser classificado como racismo e não como injúria racial.

A diferença entre os casos é simples: injúria racial se dá quando uma pessoa ofende outra por conta de cor, raça ou etnia. Racismo, por outro lado, atinge toda a coletividade, discriminando a todos.

O crime de racismo está previsto na Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989. A fala do jornalista global pode ser enquadrada no artigo 20: “Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

Publicidade

A pena para este crime é de um a três anos, mais pagamento de multa.

Medida radical da Globo

A Rede Globo emitiu nota em que se declarou visceralmente contra o racismo. “Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack”. Ainda na nota, a emissora diz que vai conversar com o jornalista nesta quinta-feira (9) e definirá o que será feito.

Por enquanto, a jornalista Renata Lo Prete, que tem sido figura carimbada no comando do “Jornal da Globo” nos últimos meses, apresentará o telejornal do final de noite.

Há grande chance dela permanecer à frente do telejornal e Waack permanecer afastado ou ser mandado embora. Apresentador do JG desde 2005, William Waack sofrerá grande pressão da opinião pública e a Globo pode acabar cedendo.