Parece que o ‘#O Outro Lado do Paraíso’ vai conseguir mostrar algo que em poucas telenovelas foi abordado dessa forma. Na trama existem alguns personagens gays, mas a temática é centralizada na vida de Samuel [VIDEO](Eriberto Leão) que vive um homossexual não assumido na trama. O psiquiatra se casou para não levantar suspeitas para a sua mãe, mas continua tendo relacionamentos extraconjugais com outros homens, sem que a sua esposa desconfie de nada. As cenas em que #Samuel e Suzy (Ellen Rocche) aparecem até são engraçadas e o personagem corre da esposa que quer fazer sexo com ele dentro do consultório. Samuel não consegue gostar de mulher e é um gay que possui preconceito diante de sua condição, algo pouco abordado em telenovelas dessa forma.

Publicidade
Publicidade

O psiquiatra ainda enfrentará diversos problemas em sua vida relacionados à sua sexualidade, mas também será ela o motivo para que ele cometa preconceito contra homossexuais. Pode parecer estranho, mas muitos homossexuais são preconceituosos contra si mesmos, principalmente aqueles que não se aceitam, como é o caso do psiquiatra Samuel.

Samuel comete homofobia em ‘O Outro Lado do Paraíso’ após demitir radiologista por ser gay

O psiquiatra vai cometer homofobia em ‘O Outro Lado do Paraíso’ [VIDEO] ao despedir um radiologista do hospital após descobrir que ele era gay. A cena em que tudo acontece deverá ir ao ar nos próximos dias e tudo começa com o médico encontrando-se com o radiologista no corredor. O homem vai perguntar sobre o recém-casamento e comentará que ele também se casou recentemente.

Publicidade

Pouco tempo depois Samuel perguntará para Suzy sobre o doutor Mariani e a mulher responderá que ele é casado com um homem.

Psiquiatra chamará radiologista em sala e vai anunciar a demissão sem revelar o real motivo

Isso será suficiente para que Samuel chame Mariani em sua sala depois que ficou sabendo que ele era homossexual. O psiquiatra resolve então demitir o radiologista, e diz que fez isso para fazer cortes de gastos na instituição, sem revelar que era o preconceito a causa de sua demissão. Mais tarde, em casa com Suzy e sua mãe é que Samuel confessará o crime que cometeu.

Em casa Samuel vai expor a sua homofobia ao dizer que não gosta de gays

O psiquiatra vai dizer que não gosta de homossexuais e alegará que eles podem influenciar na imagem do hospital. Neste momento, Suzy rebate o marido, dizendo que ele deveria então despedir metade da instituição, já que muitos outros funcionários que trabalham no local são gays. A mãe de Samuel, Adnéia (Ana Lúcia Torre), vai concordar com o filho e demonstrará também ser uma homofóbica. #Homossexualidade