Segundo um novo estudo feito pela União Internacional para a conservação da Natureza (IUCN), mais da metade das espécies de plantas e árvores da Amazônia correm risco de extinção até 2050, caso as taxas atuais de desmatamento não diminuam.

Com 40 mil espécies de plantas, segundo a organização Greenpeace, o pulmão do mundo corre sérios riscos. O desmatamento acontece de forma intensa. Só o Brasil engloba 60% da bacia amazônica, o bioma engloba no total 4,2 milhões de quilômetros quadrados. 

De acordo com os autores da pesquisa, entre 36% até 57% das 15 mil espécies de árvores foram classificadas como ameaçadas de extinção mundialmente.

A extinção destas espécies representa um aumento de 20% nos números globais. Segundo um dos pesquisadores, Nigel Pitman, eles não estão falando que a situação na Amazônia piorou, só estão mostrando uma estimativa de como o desmatamento pode afetar a falta da floresta no futuro. 

Além de possuir milhões de atributos, a Amazônia é peça fundamental para o equilíbrio climático global. A seca e os incêndios são dois problemas que andam preocupando os pesquisadores, eles afirmam que os incêndios nas florestas e as secas matam muito árvores do que as motosserras.

A cobertura vegetal da floresta estoca entre 80 a 120 bilhões de carbono, cada árvore derrubada uma parcela vai para o céu. A Amazônia influência o regime das chuvas no Brasil e na América Latina.

Os pesquisadores aguardam agora o que o El Niño reserva para a Amazônia. Segundo eles, ainda existem esperanças para o problema das espécies da flora amazônica, a sugestão deles é uma boa gestão das reservas, parques e áreas indígenas, onde estas espécies existem.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades Natureza

Isto pode fazer com que elas sejam protegidas, caindo a probabilidade de extinção. Estas áreas abrangem mais da metade da bacia hidrográfica do rio onde estas espécies se concentram. 

Não é de hoje que o homem vem devastando a Amazônia, tudo isso teve início em 1970, quando o governo militar incentivou a população para tentar integrar a região a economia do país. Com este incentivo, veio a grilagem de terra, os problemas com a agropecuária e o desmatamento.

Para se ter uma ideia, uma área devastada demora muitos anos para se recuperar dos estragos. Cada árvore que cai gera consequências negativas para todo o planeta. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo