O Brasil contribui significativamente para a biodiversidade do mundo de acordo com os pesquisadores responsáveis pelo estudo O futuro dos ecossistemas tropicais hiperdiversos divulgado pela revista Nature do mês de julho. O estudo, que contou com a participação de pesquisadores brasileiros, analisou quatro ecossistemas tropicais: florestas, savanas, sistemas aquáticos e recifes de corais.

Apesar de cobrir apenas 40% do planeta, os ecossistemas tropicais abrigam três quartos de todas as espécies de animais e plantas do mundo, cerca de 90% das aves estão abrigadas nesse ecossistema.

O Brasil é um país de extensão continental e possui a maior área de floresta tropical do mundo e os números impressionam.

O biólogo marinho, zoólogo e botânico, Jos Barlow, da Universidade de Lancaster, Reino Unido, que liderou o estudo, disse ter ficado impressionado com o fato do Brasil ser responsável pela maior parte dos peixes de água doce do mundo, pois, um quarto desses peixes está presente em rios brasileiros. Além disso, 16% das aves, 12% dos mamíferos e 15% de todas as espécies de animais e plantas do planeta estão no Brasil.

A bióloga Joice Ferreira, da Embrapa Amazônia Oriental, em entrevista à BBC News Brasil disse que já era imaginado que o Brasil tivesse uma grande quantidade de espécies, mas esses números estavam espalhados em bases de dados pelo mundo e com a pesquisa foi possível reunir essas informações.

Ameaças de espécies tropicais e as dificuldades em catalogá-las no Brasil

O estudo tem por objetivo, além do levantamento das espécies, fazer um alerta para a necessidade de preservação dos ecossistemas tropicais. Segundo a pesquisa, o desmatamento, a pesca sem controle, as alterações climáticas e a falta de capacidade de resposta por parte dos governos podem levar esses ecossistemas a um colapso.

Os cientistas chamam a atenção para as consequências na falta de ações de conservação e monitoramento dos ecossistemas tropicais como a perda de diversas espécies, muitas das quais ainda nem se quer são conhecidas.

Um dos problemas das regiões tropicais para Barlow é a falta de investimentos na coleta e catalogação das espécies de forma que não é possível saber quais delas estão em perigo.

No ano de 2014, o governo criou o Sistema de Informação Sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr), uma plataforma online que reúne dados e informações sobre a biodiversidade do Brasil, uma iniciativa que ainda caminha a passos lentos.

Entre as causas dessa dificuldade em manter um catálogo de espécies está a falta de investimentos regulares, a extensão do país e a ausência de uma estratégia para abranger a catalogação feita por especialista de todo o país.

Infelizmente, ainda não é possível saber o número total de espécies que temos, mas sabemos ao certo que é necessário preservar o nosso ecossistema para que as próximas gerações possam ter o privilégio de conhecer nossas espécies.

Siga a página Natureza
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!