Nesta quarta-feira (20), por volta das 17:00 horas, manifestantes foram as ruas para protestarem contra o aumento das passagens de ônibus em Belo Horizonte. Os grupos de aproximadamente 50 pessoas se reuniram na Praça Sete, e distribuíram panfletos para a população, explicando o motivo dos protestos.

Moradores apoiaram o ato, dizendo que eles estão reivindicando o que é de direito em favor da população e que a Prefeitura de BH deveria rever o aumento atribuído a passagens, o que pesa muito no bolso no final do mês.

O grupo de manifestantes partiu para Avenida Afonso Pena, com cartazes e fazendo bastante barulho, complicou o trânsito que ficou lento nas intermediações, porém nenhuma confusão foi registrada.

A Polícia Militar acompanhou os militantes à distância, para manter a ordem e o direito de ir e vir da população segundo o Tenente Maillo do Batalhão de choque.

Às 19:00 horas, os manifestantes partiram em direção a Prefeitura de Belo Horizonte, ocupando apenas uma via da Avenida, deixando a outra para circulação dos veículos.

A Prefeitura de Belo Horizonte autorizou a BHTrans e empresas concessionárias das linha de ônibus que aumentasse o valor das passagens em R$ 0,30, um aumento de 8,82% em relação ao valor de 2015.

A Defensoria Pública de Minas Gerais entrou com uma ação na justiça contra o aumento das passagens de ônibus, alegando que as bases de calculo usadas pela Prefeitura de BH são frágeis e o valor do aumento é questionável.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Política

Outra ação na justiça contra o aumento, pelo Ministério Público de Minas Gerais, onde o promotor de justiça Eduardo Nepomuceno, disse que a base de calculo deveria ser referente o valor de 2014, quando a passagem valia R$ 3,10 e não de 2015 à R$ 3,40.

Enquanto os manifestantes estão lutando pelos seus direitos do povo, os governantes impõem mais aumentos para uma gente já sofrida pelos autos custos dos tributos, onde o retorno do dinheiro pago com impostos não se vê.

Por essa razão o Brasil esta encarando neste começo de 2016 uma das piores crises econômicas da história.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo