Muitas prefeituras de Minas Gerais também estão na iminência de parcelar o pagamento do salário dos servidores. Quem fez o alerta foi o presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Antônio Júlio: "a situação é muito mais grave do que a gente pode imaginar", acrescentou. Ele não deu detalhes nem adiantou quais seriam as cidades, mas admitiu que “Vai chegar um momento em que vai ter que parcelar”.

A queda na arrecadação dos municípios tem mobilizado prefeitos mineiros. Um dos motivos de maior preocupação é com o repasse dos royalties do petróleo, já que a nova divisão que fora proposta no Congresso Nacional foi suspensa após uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF), em março de 2013.

Segundo calcula a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), cerca de R$ 8 bilhões poderiam ter entrado nos cofres de Estados e municípios não produtores de petróleo somente durante os seis primeiros meses da liminar do STF.

Os prefeitos também não poupam críticas à postura do Governo Federal que, segundo eles, diminuiu o repasse do Fundo de Participação dos Municípíos (FPM) e o aumento do piso salarial dos professores. “O piso de Onça do Pitangui - município com 3.179 habitantes - é o mesmo de Belo Horizonte.

Tem um erro de estratégia que precisamos reavaliar”, descreveu Antônio Júlio, atual prefeito de Pará de Minas.

Os prefeitos também intensificaram as discussões sobre o retorno da cobrança da CPMF - o imposto do cheque.

Em Minas

No Estado, os servidores começam a receber, de forma escalonada, o pagamento referente a janeiro nesta sexta (5) - quinto dia útil. Pelo cronograma, somente servidores, com vencimento inferior a R$ 3 mil líquidos, continuarão recebendo no quinto dia útil de fevereiro, março e abril.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Política

No entanto, fontes do governo admitem que medida pode se estender após o mês de maio.Novos estudos serão feitos ao fim do período para saber se haverá mudanças na forma de pagamento.

Conforme o governo, nessa faixa salarial estão 75% dos servidores.Em relação aos funcionários que recebem entre R$ 3 mil e R$ 6 mil, 17% do total, haverá divisão em duas parcelas por mês. Quem tem contracheque acima de R$ 6 mil, 8% do quadro de servidores, receberá em três parcelas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo