As festas estudantis em Uberlândia, interior de Minas Gerais, tem sido alvo de reclamações dos moradores que são vizinhos da UFU (universidade Federal de Uberlândia).

As festas que tem ocorrido nas repúblicas e nas ruas em torno da faculdade estão gerando em média de 8 a 10 reclamações por dia junto a Polícia Militar. Essa média de reclamações só não é maior porque muitos moradores têm procurado o diálogo e muitas vezes a tolerância.

A maior queixa dos vizinhos é sobre o barulho e aglomeração dos estudantes, que ficam nas ruas e bares. Além disso, os encontros nos bares tornam a situação ainda mais difícil, pois além do barulho, as ruas são invadidas, atrapalhando assim o trânsito local.

De acordo com Julio Cesar Cerizze Cerazo de Oliveira, major e assessor de comunicação da 9ª Região Integrada de Segurança Pública, o número de reclamações é pequeno se comparado ao número de habitantes da cidade, que hoje ultrapassa os 700 mil. Ele ainda defende o diálogo e a tolerância, por saber que se a viatura comparecer ao local, após a saída da mesma o som volta ao volume que estava.

Por outro lado, estudantes defendem o acontecimento dos eventos dentro da universidade, pois além de ser oportunidade de integração entre os alunos, a renda obtida com os eventos ajudam a financiar entidades estudantis.

Wesley Marques da Silva, diretor de logística da universidade informou que há normas a serem cumpridas para a realização de festas e eventos dentro do campus. Festas com bebidas alcoólicas e som são acompanhadas pela Divisão de Vigilância.

Os melhores vídeos do dia

Além desse monitoramento, são utilizados três decibelímetros que ajudam no controle do som.

Sobre as festas e eventos realizados do lado de fora da universidade, há uma recomendação do Ministério Público Estadual para a suspensão desses eventos. A alegação é a segurança e a falta de acessibilidade. Quanto as festas realizadas em repúblicas, é necessário que se tenha um alvará expedido pelo Corpo de Bombeiros e pela prefeitura do município. Esse alvará só é concedido se o local oferecer segurança aos que iram participar.

Na cidade, há uma lei que prevê punição com multa que varia de R$176,03 a R$2993,00 para casos em que há confirmação de perturbação sonora.