Com mudanças no comportamento, e depois de achar vários desenhos nas coisas de sua filha de apenas 5 anos, pais confirmam abusos sofridos pela criança. O que mais chocou é que os abusos partiram do pastor secundário da igreja que frequentavam. O homem de 54 anos, João da Silva, foi preso em Montes Claros, Minas Gerais. O pastor utilizava um espaço dentro da igreja para dar aulas de inglês à criança, e aproveitava o momento para cometer os abusos.

A delegada responsável pelo caso, Karine Maia, informou ao site de notícias do G1 que assim que os pais descobriram o fato pela criança, procuraram uma psicóloga infantil. A profissionalorientou aos pais a mexerem nos pertences da garota, para que achassem algum vestígio. Como a menina gosta muito de desenhar, os pais acabaram achando desenhos feitos por ela, que confirmasse as suspeitas.

A delegada faz descrições de alguns desenhos da menina; ela conta que nos desenhos tem sempre duas pessoas. Em quanto uma sorri, a outra chora. Tem também um desenho muito comum em crianças que sofreram abusos sexuais, uma pessoa desenha de pênis ereto.

Atenção nos sinais das crianças

Segundo investigações a criança começou a fazer aula em julho de 2015, mas saiu, seus pais insistiam para que ela retornasse, mas ela não queria de maneira nenhuma. Até que um dia informou não querer voltar, porque o "tio João fazia bobagens" com ela.

Karine Maia contou que o casal também informou ao pastor responsável pela igreja o que teria acontecido. O pastor obteve a confissão de João da Silva, que é formado em letras, e destituiu o homem do cargo de pastor secundário, sendo expulso da igreja.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

As investigações constataram que João Silva, num tom intimidador, dizia à criança que sabia onde ela morava e estudava, para que ela, com medo, não contasse o que estava acontecendo.

A delegada disse que a criança contou que ele a deitava num berço, pois as aulas aconteciam no berçário da igreja. Tirava toda sua roupa e tocava suas partes íntimas, e depois realizava o sexo oral na criança.

A criança mudou o comportamento, ficou arredia, e intolerante às pessoas, principalmente do sexo masculino.

Ela não queria ficar sozinha nem mesmo com o próprio pai. Após descoberta do caso, a criança ainda adoeceu diversas vezes.

A delegada chama atenção para que se esteja sempre atentoa uma mudança de comportamento das crianças, pois pode ser um sinal que algo errado está acontecendo.

Pastor acusado dos abusos

O advogado de defesa diz que seu cliente alega inocênciaeque irá esperar a conclusão do inquérito para trabalhar na defesa.

A delegada informou que a prisão temporária de João Silva foi decretada, pois ele forneceu inicialmente endereço errado àPolícia, afirmando morar com uma irmã. Ao chegar à residência, a mesma teria informado a próprio punho que elenunca havia morado com ela. Mas o suspeito foi achado na casa de outra irmã e detido.

Na presença do pastor e do pai da criança, ele havia confessado ter cometido os abusos, e disse estar muito arrependido.

Porém ao chegar à delegacia, talvez por orientação de seu advogado, ele negou as acusações.

A delegada disse que irá ouvir outras pessoas, para obter mais informações. Seexistiremoutras crianças vítimas de João Silva, pede que, estiverem denúncias contra ele, que comuniquem imediatamente a polícia.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo