Mais um caso de estupro coletivo deixa uma cidade chocada no nordeste brasileiro. Desta vez o crime aconteceu na quarta-feira (01), na cidade de Capistrano que fica a mais ou menos a 100 km de Fortaleza, no interior do Ceará

A jovem de 16 anos fugiu do local onde estava sofrendo os abusos e agressões. Ela chegou ao hospital da cidade ainda com as mãos amarradas, muito assustada e ferida. A adolescente  relatou que ela e a amiga foram abordadas por 05 homens e que foram levadas para um terreno baldio, onde foram agredidas e violentadas sexualmente.

Infelizmente a adolescente de 17 anos Luciana Alves de Brito não conseguiu sobreviver ao estupro e as agressões, segundo as investigações ela foi jogada dentro de um poço ainda viva, neste local o corpo dela foi encontrado por populares.

Suspeitos de estupro e agressões estão presos

Os suspeitos de cometer está barbárie, já estão presos. São 05 suspeitos, entre eles 03 são menores de idade de 14, 15 e 17 anos, os outros 02 são maiores de idade, identificados como Sebastião Pinto de Almeida Souza de 27 anos e John Lenon dos Santos de 20 anos.

Segundo a sobrevivente o menor de 14 anos era o mais violento, elas foram agredidas a pauladas e tijoladas, a adolescente disse que eles usaram drogas antes de cometer os crimes. 

Polícia Militar

Logo depois da localização do corpo da Luciana, a Polícia saiu em diligência onde apreendeu um menor suspeito de participar do crime, este adolescente logo confessou a participação e entregou o esconderijo dos demais suspeitos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A adolescente que sobreviveu os reconheceu e afirmou que eles são extremamente frios e cruéis.

As investigações apontam que as 02 jovens foram abordadas pelo grupo, convidadas a beber e usar drogas. Quando chegaram a um local de difícil acesso, mantiveram relação sexual consensual com os jovens, porém depois elas foram amarradas e obrigadas a manter o ato sexual sem consentimento, após o abuso passaram a ser torturadas.

As adolescentes são da cidade de Baturité e estavam visitando a irmã de uma das vítimas em Capistrano. 

População revoltada

A população de Capistrano e de Baturité esta revoltada e chocada com a brutalidade do crime, inclusive ameaçaram invadir a delegacia para fazer Justiça com as próprias mãos. A segurança do local precisou ser reforçada para garantir a segurança dos suspeitos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo