Marcelo Moraes, que era suspeito de matar a própria mulher e a filha de apenas oito meses, no Ceará, confessou o crime, nesta segunda-feira, 24. Segundo a Polícia, o assassino revelou que brigava com frequência com a mulher, e que atirou no bebê e na esposa em um quarto de uma casa de veraneio, em Paracuru.

Ele confessou o crime à delegada Socorro Portela, que é da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), no local onde ocorreu o homicídio, já que foi ele levado para a residência para um procedimento policial.

Segundo a delegada, ele chorou e falou que estava arrependido, e que teve um discussão com a mulher antes de ir dormir. Depois que ela se deitou, Moraes fez o disparo.

Os corpos foram encontrados neste domingo, 23, o bebê de oito meses, Jade Pessoa de Carvalho, e a mulher Adriana Moura de Pessoa Carvalho Moraes, de 39 anos. As duas mortas com tiros na cabeça e nas costas. Os corpos foram velados em Fortaleza e sepultados na manhã desta segunda-feira, no cemitério Parque da Paz. 

Na madrugada desta segunda-feira, 24, a polícia encontrou na casa de Marcelo Barberena Moraes em Fortaleza, uma coleção de armas, como revólveres calibre 22 e 23, também foram encontradas cinco garruchas, dardos, munição, e espingardas de pressão.

Marcelo não tinha autorização para usar as armas segundo a delegada Socorro Portela. 

O assassinato ocorreu por volta das 2 horas da manhã de acordo com a polícia. O bebê e a mulher dormiam em um quarto de uma casa que fica no bairro Campo de Aviação.

Segundo a PM, os vizinhos escutaram os tiros na madrugada, mas quem ligou para a polícia foi o cunhado da vítima às 6 horas da manhã, relatando o ocorrido.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Uma arma foi encontrada em uma cadeirinha de bebê que estava na casa. O marido da vítima e seu irmão, foram levados para a Delegação Municipal de Paracuru. Logo depois foram para a Coordenadoria de Medicina Legal, e foram feitos exames para detectar vestígios de pólvora no corpo. Depois foram levados ao DHPP. 

Homem estupra criança ‘em nome de Deus’

Anarquia e Fascismo, amantes ocultos

Da Igreja Evangélica para a Umbanda: Ex-pastora Marcia de Ogum rema contra a maré

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo