Mais um crime covarde contra uma mulher deixa uma cidade chocada. De acordo com as informações apuradas pelo portal de notícias G1, Gisele dos Santos, 22 anos, teve as mãos totalmente decepadas e parte dos pés decepados, pelo marido. O crime aconteceu no dia 2 de agosto na cidade de São Leopoldo, RS.

Motivação do crime

Gisele conta que o companheiro Élton Jones Luz de Freitas, 25 anos, sempre foi muito ciumento e controlador, eles estavam juntos há sete anos.

Publicidade
Publicidade

Ela relata que por causa do ciúme excessivo de Elton, ela deixou de estudar, já não tinha mais amigos, não usava as redes sociais e sequer podia dar um "oi" para os conhecidos quando saía de casa.

A jovem ainda diz que mesmo assim eles tinham planos futuros e pensavam em ter filhos. Há dois meses eles se mudaram da casa da mãe de Gisele para um apartamento. Ela relatou que "sempre sonharam com a casa, em comprar um carro e ter filhos", ela ainda disse que "por ele já teriam filhos, mas ela sempre disse que só aconteceria quando já tivessem a casa deles". 

Como sempre Élton discutia e brigava muito por causa do ciúme doentio.

No domingo, 02 de agosto, cansada dos constantes conflitos, Gisele decidiu colocar um ponto final no relacionamento e disse para o companheiro, "ou você sai de casa, ou saio eu", neste momento segundo ela, Élton se desesperou, "ele começou a chorar e a pedir perdão".

Em seguida conforme relata Gisele, seu marido trancou as portas do apartamento e colocou a chave dentro do bolso, foi quando ela pegou o celular para ligar e pedir socorro à sua mãe.

Publicidade

"Ele arrancou o celular das minhas mãos e me deu o primeiro golpe na cabeça", disse. Ao ver tanto sangue, ela não conseguia acreditar que seu marido, o homem que lhe jurava amor, tinha coragem de lhe agredir daquela maneira.

Mesmo ela dizendo que o perdoava na tentativa de acalma-lo e na esperança das agressões cessarem, ele continuou a esfaqueando. Ela gritava por socorro e em um dado momento se fingiu de morta pensando que assim ele desistiria de esfaqueá-la, contudo ele ainda enfiou a faca em sua barriga, foi quando ela gritou de dor, e ele disse "você ainda não morreu, sua desgraçada". 

"Eu gritava pedindo a Deus que o perdoasse, pois ele estava me matando".

Foi aí que ele se levantou, trocou de roupa e antes de sair me disse, "vou dar um beijo na minha mãe, pois você já está morta e eu vou ser preso", saindo calmamente do apartamento.

De acordo com Gisele, assim que ele saiu ela voltou a gritar por socorro, foi quando uma vizinha a encontrou no chão toda ensanguentada. A jovem achando que ia morrer pediu que a vizinha ligasse primeiro para sua mãe de quem ela queria de despedir. Em seguida, a mulher ligou solicitando socorro.

Gisele ficou internada na UTI do Hospital Centenário por quatro dias.

Publicidade

Ela ficou mais tempo no hospital, pois passou por cirurgias para reimplante dos pés e espera que não haja rejeição, infelizmente as mãos não tiveram como ser reimplantadas.

O agressor está preso no Presídio Central de Porto Alegre. 

Gisele precisa de ajuda

A família de Gisele precisa de ajuda para comprar fraldas e lenços umedecidos, pois ela não consegue ir ao banheiro, amigos da família vão fazer uma campanha nas redes sociais para arrecadar dinheiro e comprar as próteses que Gisele vai precisar usar, cada uma custa em torno de R$ 24 mil. Ela ainda vai precisar de remédios e de fazer fisioterapia.

Publicidade

Perdão

A jovem afirma que ele tem seu perdão. "O meu perdão ele tem, depois ele que se acerte com Deus".

Leia tudo