Em entrevista ao programa "Bom Dia Espírito Santo", da TV Gazeta ES, o Secretário Estadual de Meio Ambiente do Espírito Santo, Rodrigo Júdice, informou que o SAAE de Governador Valadares-MG voltou atrás na informação de que foram encontradas quantidades de materiais tóxicos, principalmente mercúrio, em amostra colhida no Rio Doce após passagem de onda de lama. Ontem, dia 9 de novembro, a informação foi divulgada no "Jornal Hoje", da Rede Globo. Ainda segundo o secretário, análises detalhadas dos materiais que estão chegando no Rio Doce, proveniente do rompimento da barragem da SAMARCO, em Mariana-MG, ainda não foram feitas.

Após os dejetos adentrarem o território capixaba, o IEMA, SAAE e outros órgãos fiscalizadores colherão amostras do Rio Doce e enviarão para análises. Isso também será crucial para a suspensão ou não do fornecimento de água tratada nos municípios que serão afetados.

Se preparando para situações adversas, a prefeitura da cidade de Colatina-ES recebeu do governo estadual e de empresas provadas, cerca de 40 caminhões pipas que recolherão água portável de Linhares-ES e para tratamento da Lagoa do Batista, em Marilândia-ES.

Segundo o prefeito da cidade, Leonardo Deptulski, essa quantidade de água será destinada inicialmente ao sistema de saúde, asilos, abrigos e presídios. O restante será destinado aos bairros mais altos da cidade, que tiveram o abastecimento de água prejudicado devido ao alto consumo da população, com a intenção de estocar a maior quantidade de água possível.

Segundo as previsões mais recentes, a lama deve chegar em território capixaba, mais precisamente em Baixo Guandú-ES e Colatina-ES, ao longo da tarde desta terça (10).

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Natureza

O município de Linhares-ES deve receber os dejetos nesta quarta-feira, dia 11. Segundo a SAMARCO, não havia nenhum tipo de material químico ou contaminado nos dejetos, sendo em sua maior parte argila e areia. De qualquer forma, os governos municipais e estaduais das cidades atingidas prometeram realizar diversos testes na água antes de distribuí-la a população.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo