A presidenta Dilma Rousseff já foi a favor do diálogo e criticou os Estados Unidos pelos ataques, mas depois dos atentados em Paris, a presidente mudou de opinião e entrou na guerra contra o Estado Islâmico, se posicionando a favor dos ataques contra o grupo terrorista.

Dilma participou da reunião com vários chefes de estados na Brics, no último domingo (15) e ela defendeu uma ação conjunta para um "combate sem trégua ao terrorismo".

Após o pronunciamento da presidente foram vários comentários nas redes sociais criticando tal atitude e lembrando que o Brasil não consegue combater os traficantes, ladrões, não tem condições de vigiar suas fronteiras e vem atravessando um momento difícil, principalmente por causa da corrupção que se instalou no governo de Dilma Rousseff.

Dilma fez um discurso e disse para os líderes da China, África do Sul e Rússia que ficou "consternada" com os atentados em Paris e que algo precisa ser feito urgente para impedir novos ataques.

"Expresso o meu mais veemente repúdio, que é também o de todo o povo brasileiro, aos atos de barbárie praticados pela organização terrorista Estado Islâmico." - disse Dilma Rousseff.

No domingo (15), a reunião do G20 tratou principalmente desta questão do terrorismo e o grupo dos 20 países mais ricos do planeta se mostrou preocupado com o avanço do Estado Islâmico.

"Essas atrocidades tornam ainda mais urgente uma ação conjunta de toda a comunidade internacional no combate sem tréguas ao terrorismo." - completou Dilma Rousseff causando protestos nas redes sociais.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

A presidente foi chamada de "louca", "sem noção" e muitas outras críticas foram feitas por colocar o Brasil no meio de uma terrível guerra que já acontecia em silêncio, mas que agora está sendo assumida e vai tomar proporções gigantescas.

A maior preocupação dos brasileiros é que o país não está preparado para um guerra contra um grupo terrorista que desafia as grandes potências mundiais.

O Brasil não consegue lidar com a violência interna no seu dia a dia e se começar a receber terroristas, pode se preparar para um verdadeiro caos.

O assunto é polêmico e vem causando muita discussão nas redes sociais.

Você acha que Dilma deve colocar o Brasil nesta guerra contra o Estado Islâmico ou é melhor ficarmos de fora, só observando?

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo