A prefeitura da cidade de Governador Valadares informou que a captação da água do rio Doce foi retomada neste domingo.No sábado, ogovernador de Minas Gerais, Fernando Pimentel,já havia apresentado um laudo sobre a possibilidade do retorno da captação. O abastecimento havia sido interrompido pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto da cidade (Saae)após a lama proveniente do rompimento das barragens do Fundão e Santarém atingir as águas do rio.

De acordo com a prefeitura, os moradores da cidade começarão areceber o fornecimento de águaoficialmente na segunda-feira (16) e na próxima sexta-feira há a previsão de que toda a cidade já esteja abastecida.

Entretanto, alguns moradores relataram nas redes sociais neste domingo que já estavam recebendo o fornecimento de água, que estava escura e com um cheiro forte. Em nota, o Saae respondeu que "a chegada da água pode fazer com que qualquer resíduo no fundo da caixa d'água apareça e a água pareça suja". Tanto a prefeitura como o Serviço de Água e Esgoto da cidade garantiram que "a água distribuída estará dentro dos mais rigorosos padrões de qualidade para o consumo".

Enquanto o fornecimento não é plenamente distribuído, 14 pontos de distribuição de água estavam espalhados pela cidade.

A água vem da cidade de Ipatinga por meio de caminhões-pipa. Mais de quarenta caminhões estão em operação, mas está previsto que mais cento e cinquenta caminhões-pipa iniciem as suas atividades na cidade. Segundo dados da prefeitura, são necessários quinze milhões de litros de água para abastecer a cidade, mas atualmente menos da metade tem chegado ao município. Em dias normais, os números podem chegar a sessenta milhões de litros de água.

Descarte de água e ocupação indígena

Na última sexta-feira, duzentos e quarenta mil litros de águavindos em vagões-tanque da Valeforam descartados por conter, segundo a prefeitura de Valadares,"alto teor de querosene".

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Opinião

Em uma nota, a Vale respondeu que os tanques nunca foram usados para transportar qualquer tipo de material que não fosse água: "Este vagões só transportam água e nunca transportaram querosene. A Vale entregou a água em Governador Valadares esta manhã (sexta-feira), em local acordado com a prefeitura. Essa, por sua vez, se responsabilizou pelo transporte da água em caminhões-pipa, que não são de responsabilidade da Vale. Representantes da empresa estão entrando em contato com a administração municipal para esclarecer o ocorrido".

Neste domingo, a prefeitura acusou novamente a Vale de negligência no fornecimento de água, informando que após o descarte de água da última sexta-feira, osvagões tanque da empresa não estão chegando à cidade. Porém, prefeitura considera a ocupação da Estrada de Ferro Vitória Minas (EFVM)pelo índios Krenak a causa do impedimento, fato que foi confirmado pela Vale em uma nota: "Com a ocupação, as operações de carga e de passageiros estão paralisadas por tempo indeterminado e está prejudicado o apoio à distribuição de água para outras comunidades ao longo da EFVM".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo