Nessa manhã de quarta-feira (18/11), a Polícia Federal colocou em prática a operação anti pirataria que levou o nome Barba Negra, prendendo dois dos responsáveis pelo site Mega Filmes HD. Além das duas prisões temporárias, a ação policial executou mais quatro mandados de busca e apreensão e também bloqueou as contas bancárias de sete suspeitos de administrar o site. Outras cinco pessoas foram conduzidas coercitivamente e tiveram que prestar depoimento.

Segundo a PF, o portal Mega Filmes HD é um dos maiores portais de crimes especializados contra direitos autorais na internet do Brasil e America Latina. Estima-se que só no primeiro semestre de 2015 o site tenha angariado cerca de 60 milhões de visitas por mês, sendo 85% do Brasil e 15% de outros países, como Japão e Portugal - tudo isso, contando com mais de 4,5 milhões de seguidores no Facebook.

O site disponibiliza cerca de 150 mil arquivos para assistir online, dentre eles filmes, séries, shows, programas e documentários - tanto dublado quanto legendado, e tudo gratuitamente. Alguns são até oferecidos pelo site antes mesmo das estreias oficiais. Toda a renda era obtida através de cliques e visualizações por meio dos anúncios e publicidade no site.

Os envolvidos serão indiciados pela prática de crimes de constituição de organização criminosa, que acarreta pena de três a oito anos além de multa, e também pelo crime de violação de direitos autorais, que gera pena de dois a quatro anos incluindo multa.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Ação anti pirataria pelo mundo

Há cerca de 3 meses, a polícia dinamarquesa executou a prisão de dois homens que gerenciavam sites ligados ao Popcorn Time - aplicativo argentino que disponibilizava os mesmos serviços do Netflix, só que gratuitamente, e estava em funcionamento até pouco tempo atrás.

O que gerou muita polêmica foi o fato deles não serem os responsáveis pelo aplicativo - no entanto mantinham portais que, segundo a acusação, eram responsáveis por "distribuir conhecimento e guias sobre como obter material ilegal online".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo