O desastre que ocorreu em Mariana (Minas Gerais) causou enormes transtornos à população do local e sérios problemas ambientais como a morte do Rio Doce e lama no mar do Espírito Santo. Devido a esses acontecimentos o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) estipulou que a Samarco arque com todos os danos causados pelo rompimento da barragem Fundão e que providencie os reparos necessários.

Saiba o que o TJMG estabeleceu para a Samarco

Com vistas a amenizar os prejuízos o TJMG fixou para a empresa 19 medidas a serem cumpridas e caso não obedeçam terão que pagar uma multa diária de R$ 1 milhão de reais no prazo de 5 a 10 dias.

Dentre o que foi definido está o depósito de R$ 1 bilhão de reais para custear os prejuízos causados pela tragédia e a Samarco tem a opção de dar um bem equivalente e de igual valor para cobrir as despesas.

Foi definido um depósito de R$ 50 milhões (em juízo) para arcar com custos e suprir gastos do IEF (Instituto Estadual de Florestas), IGAM (Instituto Mineiro de Gestão de Águas), e FEAM (Fundação Estadual de Meio – Ambiente).

Outras medidas estipuladas

Fornecimento de água para toda a população que utilizava o Rio Doce.

Reconstrução do sistema de saneamento das cidades de Mariana, Barra Longa e Rio Doce.

Reorganização dos povoados afetados, restauração das pontes, estradas que foram danificados e atingidos pela barragem.

As medidas impostas deverão ser criteriosamente cumpridas pela empresa, pois o rompimento da barragem causou graves consequências ao meio-ambiente, ao Rio Doce e criou riscos, pois a lama avança pelo litoral podendo chegar a outras localidades e afetar a fauna e a flora.

A Samarco deverá comprovar o cumprimento das metas estabelecidas pela Diretoria de Prevenção e Emergência Ambiental do Governo Estadual, e a mineradora informou que executará o proposto dentro do prazo previsto.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia Natureza

O impacto ambiental foi grande e as pessoas sofrem com a perca dos seus bens e moradias, e o prejuízo não é somente material mas moral e as autoridades esperam que o cumprimento ao que foi imposto pelo TJMG seja acatado. A empresa precisa dar uma resposta para a sociedade e as medidas precisam ser colocadas em prática o mais rápido possível, pois são vidas em jogo.

O impacto da lama deixará a sua marca, e não é possível fazer uma estatística da recuperação do Rio Doce e da diluição da lama no mar, só o tempo é que poderá dizer.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo