Um crime brutal deixou chocada toda a população da cidade de Petrolina, que fica localizada no sertão de Pernambuco. Uma garotinha de sete anos de idade foi assassinada com vários golpes de faca durante a comemoração de formatura que acontecia na noite desta quinta-feira (10), no colégio particular Nossa Senhora Maria Auxiliadora.

De acordo com as informações do portal de notícias G1, Ana Beatriz Angélica Mota, 7 anos, estudava nesta instituição de ensino, onde seu pai é professor de inglês.

Saibam mais sobre este crime bárbaro

De acordo com as informações da Polícia Militar, Ana Beatriz foi junto com seus pais, Lúcia Mota e Sandro Romildo ao colégio para acompanhar solenidade de formatura.

O professor Sandro saiu de perto da esposa e da filha para participar da cerimônia. A mãe de Ana Beatriz percebeu a ausência da filha depois de alguns minutos.

Uma testemunha que preferiu não se identificar, relatou que Sandro foi até o palco onde uma banda tocava e chamou pela filha, " Bia, cadê você minha filha?, "Pessoal alguém viu a minha filha?", já demonstrando muita aflição.

Mais tarde o pai voltou ao palco pedindo ajuda a todos, pois já tinha procurado a filha em todos os lugares.

Ainda de acordo com a testemunham neste momento a banda parou de tocar e todos começaram a se retirar no local, foi quando ouviram-se muitos gritos, algumas pessoas que procuravam pela menina, entrarem no depósito de material esportivo e a encontraram morta, por esse motivo saíram gritando desesperadas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Investigações

Segundo a Delegada Sara Machado, a criança foi encontrada em local onde era guardado material esportivo ao lado da quadra de esportes onde acontecia a comemoração.

Ela tinha vários ferimentos causados por uma faca do tipo "peixeira" em todo o corpo. O autor do crime deixou a faca cravada no abdômen de Ana Beatriz.

Foram acionados a Polícia Militar, Polícia Civil, Instituto de Criminalística e o Instituto de Medicina Legal.A área do colégio foi totalmente isolada para que as equipes fizessem uma minuciosa varredura no local, em busca de pistas e impressões digitais que possam levar até o autor desta monstruosidade.

A investigações preliminares, indicam que a menina não sofreu abuso sexual, porém a confirmação depende do laudo do IML.

A delega afirmou que as investigações serão priorizadas para que o culpado seja encontrado o mais rápido possível. Testemunhas serão ouvidas e as imagens da câmeras de seguranças do colégio e das proximidades do local do crime serão analisadas.

Sara Machado, fez um apelo a população para que ajude a polícia, toda informação é bem vinda para solução do crime.

Até o fechamento desta matéria, o Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora, não tinha se pronunciado sobre o caso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo