De acordo com publicação do site da Revista Forum, o advogado Carlos Araújo, ex-marido da presidente Dilma Rousseff e pai da filha do casal, concedeu uma entrevista ao blog Brasil 247 horas depois de aparecer como manchete de capa da Revista Época deste sábado (16), que o trouxe como o responsável por ter convencido a presidente a receber um dos dirigentes da empresa Engevix, para que ele falasse com Dilma sobre a situação desesperadora da empresa.

A notícia era de que o dirigente da Engevix, José Antunes Sobrinho, teria tido um encontro com Araújo, uma "reunião secreta", para fazer o pedido de intervenção e teria ouvido do ex-marido da presidente a promessa de ajuda. Essa ajuda teria ainda envolvido umm casal de amigos de Araújo e da presidente e uma quantia de R$ 200 mil.

Acontece que, de acordo com o advogado, a denúncia não tem comprovação, é baseada em fatos que sequer foram conferidos.

Araújo conta que teve um encontro com um profissional da revista por um breve período de tempo, pois o repórter havia se infiltrado em seu escritório, como cliente, e quando ficaram frente a frente, ele começou a perguntar sobre a Engevix e quanto o advogado havia recebido, Araújo então pediu que o repórter se retirasse.

Sobre o pedido de Antunes, dirigente da Engevix

Carlos Araújo não nega que tenha se encontrado com Antunes, da Engevix.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Política

Ele inclusive conta que encontraram-se não apenas uma, mas três vezes e que o assunto sempre girava em torno da mesma coisa: que Araújo conseguisse marcar um encontro entre Antunes e a presidente Dilma Rousseff. "Ele (Antunes) estava cada vez mais desesperado com a situação da empresa", conta Araújo. "...queria de todas as maneiras que eu o ajudasse a marcar um encontro com a Dilma. Pretendia falar da situação com ela.", complementa.

Como resposta, o ex-marido da presidente conta que explicou que esse nunca foi o seu papel, que ele tem seus valores, sua história e sua vida e que de forma alguma tentaria interferir na agenda da presidente, inclusive ela nem permitiria isso.

Anotação da matéria: (Momentos antes da entrevista, o Planalto desmentiu que o encontro tenha se realizado)

A reportagem revoltou Carlos Araújo

Nem é preciso dizer que o advogado Carlos Araújo não gostou nada do que viu e do leu, e foi ainda bem além, contra-atacando os donos da Globo, que são os proprietários da Época, dizendo que a revista deveria era "preocupar-se em esclarecer por que seus patrões resolveram viver homiziados em Miami, cidade que é um dos endereços preferidos pela máfia internacional.”

Ele continuo, dizendo que se surpreendeu com tanta maldade, tentando atingir a presidente atacando pessoas próximas, uma vez que não podem atacá-la diretamente.

Ele ainda usou expressões como "jornalismo bandido" e "jornalismo marrom" e disse que vai defender seus direitos, pois foi vítima de calúnia e ainda vai entrar com uma ação contra a Revista Época, exigindo também, o seu direito de resposta.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo