Um novo deslocamento de terra foi registrado por funcionários da Samarco em Mariana-MG, nesta quarta-feira (27), e a Defesa Civil foi acionada para fazer o esvaziamento da área em torno da Barragem do Fundão, conforme protocolo de segurança.

A população que vive abaixo da Barragem ficou aflita, temendo um novo desastre, como ocorrido há três meses, em Mariana.

O Tenente do Corpo de Bombeiros, Leonard Farah, disse que a corporação não foi avisada sobre este novo deslizamento e que quando souberam, ligaram para a Samarco para saber a grandeza do deslocamento.

No momento em que houve o deslocamento de terra, havia no local cerca de 150 funcionários, que foram retirados imediatamente. Esta é a segunda vez que há um deslizamento de terra em Mariana, que teve, na primeira vez, um que foi considerado o maior desastre ambiental do Brasil.

A Samarco tenta minimizar o ocorrido, ela emitiu nota dizendo que a água que vazou é pouca, e que não irá seguir o curso dos rios, porém, o ocorrido foi devido às chuvas dos últimos dias, que aumentou o volume da barragem.

Welbert Stopa, chefe da Defesa Civil, disse que foi adotado o alerta amarelo, com o esvaziamento do local. Não houve feridos e todos os funcionários estão em segurança.

Há três meses, um deslocamento de terra, semelhante à desta quarta-feira (27), ocorreu em Mariana, arrasando Bairros e tirando a vida de 17 pessoas e o desaparecimento de outras duas.

Os rios que abastecem dezenas de cidades foram afetados, principalmente o Rio Doce, causando problemas de abastecimento de água potável, para milhares de pessoas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Natureza

O prejuízo ambiental, devido aos detritos acumulados na barragem, foi enorme e segundo especialistas, serão necessários vários anos para que a Natureza volte ao normal.

Esse novo deslocamento da Barragem do Fundão, mesmo que, de pequena proporção, aciona o alerta de uma nova ameaça ambiental. As consequências de uma exploração sem precedentes apontam que nem sempre é vantajoso explorar a natureza de forma radical, já que ela reage da mesma forma quando ameaçada.

A mineradora Samarco deverá sofrer as consequências de uma política de exploração, que ataca diretamente ao meio ambiente - e a resposta da natureza prejudica milhares de pessoas que não tem nada a ver com esse ataque desenfreado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo