A presidente Dilma Rousseff lamentou através de nota, pesar e tristeza pela morte do percussionista Naná Vasconcelos. O artista faleceu na parte da manhã, desta quarta-feira (9), no Recife. Na nota publicada, Dilma diz que o artista foi um dos maiores músicos da história brasileira, destacando que seu talento ficará para sempre como grande legado de nossa história, lembrando que recentemente Naná concorreu ao Oscar deste ano com a composição da trilha sonora da animação brasileira O Menino e o Mundo.

O percussionista que era pernambucano, lutava a sete meses contra um câncer de pulmão. Internado no hospital Unimed III, área central de Recife, desde segunda-feira (29). Mesmo em seus últimos dias de vida não parou de trabalhar, deixando um projeto pronto, com composições que pretendia lançar ainda em 2016. Aos 71 anos, o artista não resistiu a uma parada respiratória e faleceu às 7h39.

Amigos e familiares velam o corpo na Assembleia

Parentes, amigos e admiradores se despedem do artista na Assembleia Legislativa de Pernambuco, em Recife.

Muito emocionadas, a viúva do percussionista Patrícia Vasconcelos e a filha do casal Luz Morena, receberam o corpo por volta de 14:30, enquanto recebiam o carinho dos familiares. O enterro será às 10h de quinta-feira, no Cemitério Santo Amaro, área central de Recife.

Geraldo Júlio, prefeito da cidade, esteve presente no velório e reforçou que o legado de Naná é um presente a cultura de Pernambuco. Foi decretado luto oficial de três dias pelo governador Paulo Câmara.

Juvenal de Holanda Vasconcelos

Nascido em Recife (Pernambuco), Naná Vasconcelos, era especialista em diferentes ritmos, World Music, Jazz e MPB.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Política

O percussionista era um músico com 8 prêmios Grammy. Filho de violinista começou na banda marcial de seu pai, tocando bongo aos doze anos de idade. Na década de 60 se destacou no berimbau, tinha preferência por percussão. Em 1967 no Rio de Janeiro gravou com Milton Nascimento, no ano seguinte com Geraldo Azevedo em São Paulo. Participou com o Quarteto Livre do Festival Internacional Da Canção, iniciando aí uma extensa carreira no exterior.

A humildade era marca notória do músico. no carnaval de 2013, recebeu do então governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), a mais importante comenda estadual, a Medalha da Ordem do Mérito dos Guararapes no grau Grã -Cruz.

O governador descreveu Naná como um artista que mudou a vida de muitos jovens pobres da periferia, que viram nele a oportunidade de crescer e desenvolver seus talentos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo