Mais um caso de crime envolvendo adolescentes, chama a atenção. Desta vez um crime improvável aconteceu na cidade de Cajati, interior de São Paulo, segundo o portal de notícias G1, uma adolescente de 15 anos, mandou que seu namorado estuprasse sua mãe.

Crime chocante

Até onde o ódio e a falta de empatia pode levar uma pessoa. Um crime que aconteceu no interior de São Paulo, no Vale do Ribeira, deixou a cidade de Cajati chocada. O crime covarde ocorreu no dia 15 de fevereiro de 2016, de acordo com a Polícia Civil, a mãe da garota foi estuprada e espancada por Erivelton Bento, de 20 anos.

Erivelton foi preso na última quinta-feira (10) e confessou o crime. De acordo com o suspeito, a açãofoi planejada por sua namorada, que tem apenas 15 anos e é filha da vítima. Erivelton entrou na casa somente depois de saber que a irmã de 6 anos da namorada não estava presente. O criminoso usou uma toalha para tampar seu rosto, afim de não ser reconhecido, ele amarrou a sogra, a espancou e a violentou por aproximadamente 2 horas.

O agressor e violentador afirmou que a sua namorada relatava maus tratos constantes, sofridas por parte de sua mãe e que a odiava.

A polícia acredita que o crime foi motivado por vingança e ódio. O que espantou os policiais que investigam o caso é a falta de arrependimento da garota, ela confirmou que ajudou a arquitetar o crime e que não sente nenhum tipo de remorso e não aparenta ter qualquer sentimento fraternal em relação a sua mãe.

Além de praticar o crime, eles levaram R$600,00 da vítima e dois celulares. O casal passou por vários estabelecimentos da cidade onde gastaram todo o dinheiro. A vítima que não teve seu nome identificado, foi socorrida horas depois por um parente e encaminhada para o hospital da cidade, pois apresentava vários ferimentos graves devido as agressões.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia

O WhatsApp entrega o casal de criminosos

A polícia descobriu que os celulares foram entregues a uma terceira pessoa, que indicou quem era o agressor. Ao recuperar os aparelhos, os investigadores descobriram as mensagens trocadas pelo jovem e a adolescente, onde eles davam detalhes sobre o crime.

A adolescente foi encaminhada para o Conselho Tutelar, já Erivelton foi levado para a Cadeia Pública de Barra do Turvo, onde vai aguardar o julgamento por, tortura, estupro e corrupção de menores, ele pode pegar até 20 anos de prisão.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo