Dilma está desesperada em busca de apoio, seja dentro ou fora do Brasil e encontrou justamente na Argentina o que procurava, pois o ganhador do prêmio Nobel da Paz em 1980, Adolfo Pérez Esquive, foi contra o Impeachment da presidente.

O encontro foi nesta quinta-feira (28), no Palácio do Planalto e Esquivel fez questão de prestar sua solidariedade e apoio à petista que está para deixar a presidência do Brasil, pelo menos é o que seus opositores esperam. Para o vencedor do Nobel da Paz, este processo de impeachment contra Dilma Rousseff é um "golpe brando".

Adolfo Pérez foi claro em sua posição ao afirmar: "Está claro que o que está se preparando aqui é um golpe de Estado". Em seguida comparou a crise que o Brasil atravessa com a situação do Paraguai, onde o ex-presidente, Fernando Lugo, deixou o cargo, assim como aconteceu em Honduras, onde Manuel Zelaya deixou o poder.

O apoio veio em muita boa hora para a presidente que tem acompanhado o crescimento e o fortalecimento daqueles que desejam aprovar seu impeachment o mais rápido possível. Para complicar ainda mais a situação da petista, ela perdeu vários aliados e tem encontrado uma dificuldade enorme para garantir sua vitória no processo de impeachment que será julgado no Senado.

O vencedor do Nobel da Paz disse que "golpes brandos" estão sendo colocados em prática em vários países da América e citou Honduras e Paraguai, afirmando em seguida que este tipo de "golpe" não faz uso das Forças Armadas e é o que vem acontecendo no Brasil.

O que Esquivel aconselhou é que o Governo de Dilma Rousseff não seja interrompido, pois isso causará um grande dano ao país e que Dilma não pode ser acusada de corrupção. "Os problemas devem ser resolvidos com diálogo e consenso", completou.

Durante o regime militar na Argentina, Esquivel lutou pelos direitos humanos e isto lhe rendeu um Nobel.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Lula Governo

Quase no final da década de 70 chegou a ser preso, torturado pela ditadura Argentina e sofreu muito por longos 14 meses, sendo solto depois e desde então vem contribuindo para que os países consigam viver em harmonia, sem golpe, sem ditadura, sem tortura, sempre respeitando as pessoas.

Você pode deixar abaixo sua opinião.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo