Segundo informações do jornal 'O Estado de São Paulo' em matéria publicada nesta semana, a atriz Susana Vieira foi proibida de participar de uma propaganda do governo federal sobre a vacinação da grite H1N1 por ser abertamente a favor do impeachment da presidente da república Dilma Rousseff. O governo federal então decidiu chamar outra personalidade considera idosa para ficar a frente da campanha de conscientização, a atriz Arlete Salles.

Salles aparece no vídeo fazendo brincadeiras sobre as pessoas que precisam tomar a vacina para serem imunizadas do vírus. A H1N1 começou a ficar conhecida no ano de 2009. Naquela época, ela era chamada de "gripe suína" por existir uma suspeita de que fosse transmitida através da carne do porco.

Depois descobriu-se que o animal não era o grande vilão da história. 

De acordo com o Estadão, a primeira cotada para transmitir a campanha era mesmo a polêmica Susana Vieira, que agora também apresenta o 'Vídeo Show'. Para quem não lembra, a profissional da dramaturgia chegou a publicou um vídeo da internet em que se mostrava contra a corrupção. Ela também foi à manifestações a favor do #Impeachment e contra a líder petista, sendo aclamada por uma verdadeira multidão. É a primeira notícia que é veiculada com uma grande personalidade que teria sofrido algum tipo de represália por conta do seu pensamento político. 

Em tempo, até o momento, nem o governo, tampouco Susana Vieira confirmaram ou negaram as informações do jornal 'O Estado de São Paulo'. 

Recentemente, diversas delas entraram em diversas polêmicas.

Os melhores vídeos do dia

A maior delas envolveu o José de Abreu. Na sexta-feira, 22, ele cuspiu em um casal que jantava em um restaurante japonês depois de ter sofrido xingamentos. De acordo com Abreu, ele foi chamado de "ladrão" e sua esposa de "vagabunda". Em entrevista ao jornalista Fausto Silva, Zé disse que não se arrependia pelas suas atitudes. Ele vem utilizando o Twitter para fazer posts contra os seus supostos xingadores. Abreu até compartilhou imagens e os nomes dos dois, um advogado e uma modelo #Dilma Rousseff #Crise-de-governo