A adolescente de 16 anos, vítima do estupro coletivo, que foi filmado e compartilhado na internet por seus algozes, foi encontrada por sua família, nesta quarta-feira(25).

Nas imagens os monstros que estupraram a jovem desacordada, aparecem se vangloriando e fazendo comentários sarcásticos sobre o crime cometido, tornando o ato ainda mais deplorável eles afirmam que "mais de 30", teriam violentado a menina.

Assim que as imagens começaram a viralizar na internet, centenas de denúncias foram feitas a Polícia e ao Ministério Público do Rio de Janeiro.

Segundo a família da jovem, ela saiu de casa na sexta-feira (20), na mesma noite a jovem foi estuprada. Ela estava desaparecida desde então. Um homem viu a jovem na praça Seca, Zona Oeste do Rio, a reconheceu e preocupado com o estado de saúde da garota a levou para a casa da sua família.

"Acordei com eles em cima de mim"

A família da vítima a levou na manhã desta quinta-feira (26), para osetor de ginecologia do Hospital Maternidade Maria Amélia, onde ela passou por exames. Durante a madrugada ela esteve no Instituto Médico Legal - IML, para realização do exame conhecido como 'corpo delito'.

Ela também já foi ouvida na DelegaciaDelegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que é a responsável pelas investigações do caso.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A polícia já identificou dois homens que aparecem no vídeo e os mesmos terão a prisão preventiva decretada.

Ao deixar o hospital, a jovem muito abalada e aos prantos, dizia que só queria ir para casa, ela também afirmou que que foi dopada e só acordou no domingo. "Quando acordei tinha uns 33 caras em cima de mim", disse ela chorando.

A garota está tão abalada que tentou fugir do hospital diversas vezes, e repete sem parar que só quer voltar para casa.

A família da garota está desesperada

O pai da vítima, que não quis se identificar, se diz inconformado e desesperado, ele afirmou que o crime aconteceu na última sexta-feira, no Morro São João, em Praça Seca. "Ela foi num baile, prenderam ela lá e fizeram essa covardia. Bagunçaram minha filha. Quase mataram ela. Estava gemendo de dor. Ficou tão traumatizada que só conseguia chorar".

A avó da menina está desolada, ela diz que viu o vídeo e que foi chocante, ver a neta "desligada" sendo abusada daquela maneira.

Eles riam e faziam piadas o tempo todo.

A indignação não é somente da família da garota, centenas de milhares de pessoas em todo o Brasil se mostram revoltados com este crime e clamam por justiça.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo