O Partido dos Trabalhadores (PT) acabou cometendo um ato falho em suas redes sociais. De acordo com a colunista Vera Magalhães em nota publicada nesta segunda-feira, 23,  em sua coluna 'Radar', no site da Revista Veja, a presidente afastada Dilma Rousseff acabou sendo chamada de "ex". A falha acabou sendo realizada pelo perfil oficial da legenda, que em um passado recente também elegeu o ex-líder sindical Luiz Inácio Lula da Silva à presidência. É bom lembrar que a sigla está defendendo a volta de Dilma para o cargo pelo qual foi eleita, mas que por conta do processo de #Impeachment foi afastada do cargo.  

Ao longo do post com o "ato falho" era escrito o que Rousseff havia feito no fim de semana.

Ela se reuniu com manifestantes em um ato público na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. No ato, participaram também ativistas e blogueiros. O evento teria patrocínio da Caixa Federal, mas o presidente em exercício, Michel Temer, teria  solicitado que a verba fosse cortada. O peemedebista diz que o investimento em publicidade do governo precisa ser dado para sites de cunho jornalístico e não de pura opinião. Com isso, muitos blogs devem perder espaço. 

O fim de semana foi morno para a política, só nesta segunda-feira uma bomba voltou a cair na capital federal, em Brasília. Um áudio envolvendo Romero Jucá, Ministro do Planejamento, exibe ele discutindo uma suposta trama para abafar a Lava Jato, principal investigação sobre corrupção em andamento no país. Ao telefone, ele disse que já teria a certeza que os militares estariam apoiando a unificação nacional e que o Movimento dos Sem Terra (MST) estaria sob controle.

Os melhores vídeos do dia

Romero nega que estivesse fazendo planos contra a Lava Jato. Ele dá outra versão, relatando que, na verdade, quer fortalecer a operação. 

A divulgação do áudio, no entanto, acabou cancelando uma reunião que aconteceria com a imprensa envolvendo Michel Temer. O novo horário ainda não foi marcado. Acredita-se que Romero Jucá deva ser demitido para apaziguar os ânimos.  #PT #Dilma Rousseff