A menina de 16 anos, identificada como C.B., e vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro prestou mais um depoimento para a Polícia hoje (27). Ela chegou ao local cobrindo o rosto. Fernando Veloso, chefe da Polícia Civil, descreveu o crime como "barbárie". C.B. está recebendo ajuda de uma assistente social. De acordo com a mãe da menina, ela ainda está muito assustada. Ela chegou ao local por volta das 17h.

Até agora, a polícia negou a prisão dos quatro suspeitos identificados. Em entrevista coletiva, afirmou que a polícia trabalha com "indícios" e que há, sim, indícios dos criminosos. Mas que, se fosse necessário assinar um documento agora comprovando a culpa dos suspeitos, ainda não seria possível, mas estão trabalhando no caso. A menina foi ouvida novamente e os quatro suspeitos também deram depoimentos.

Os investigadores ainda aguardam o laudo final do exame do Instituto Médico Legal (IML) feito da adolescente.

Osecretário deSegurança do Rio de Janeiro preferiu não dar detalhes, mas confirmou que a Praça Seca, local onde o crime aconteceu, está passando por uma operação agora e que "obviamente" é sobre o caso de estupro. O ministro da Justiça disse que foi ao Rio de Janeiro a pedido do presidente interino Michel Temer para prestar todo apoio que puder ao caso.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A menina deu entrevista em vídeo hoje ao O Globo, com seu rosto escondido ea voz alterada para proteger sua privacidade. Na entrevista, ela fala que a sociedade costuma culpar as mulheres nesses casos e faz a comparação de que isso é o mesmo do que culpar alguém que foi roubadopelo o que aconteceu. Em seu Facebook, de acordo com a matéria do jornal, a menina mudou sua foto eadicionou mensagem que pede fim à cultura de estupro.

Um dos criminososque estava no local é o seu namorado há três anos, mas a avó da adolescente afirma que ele nunca visitou a família e eles não conhecem o homem. A garota abusava de drogas, mas afirma que não usava há 1 mês. Ela tem um filho de três anos de idade. O crime aconteceu após ela sair para encontrar o namorado e acordar no dia seguinte nua, em ambiente com homens fortemente armados e dopada.

Saiba mais

Acusado diz que 'não sabia que era um estupro' em caso de menina

Polícia pede a prisão de 4 suspeitos de estupro coletivo no RJ; confira os nomes

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo