Até às 22h no horário de Brasília desta terça-feira, 03, nem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Sila, nem a presidente Dilma Rousseff, tinham se pronunciado em seus perfis oficiais da internet sobre a bomba do noticiário. O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, segundo diversos veículos de comunicação, disse que já existem elementos suficientes para pedir que o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizasse que Dilma seja investigada por obstruir o percurso da Lava Jato. O pedido vai além e envolve a nomeação de Lula para o Ministério da Casa Civil, que foi feita dias depois do Ministério Público de São Paulo solicitar a prisão preventiva do petista.

O mesmo procurador anunciou oficialmente seu pedido para colocar o nome de Lula nas investigações da Lava Jato. Ele e outras 26 personalidades são chamados de "quadrilhão" pela imprensa. A mais alta corte do país deve agora analisar se a denúncia da procurador é válida. Ainda não há uma previsão ou prazo para que isso ocorra. 

Procurados

Curiosamente, Dilma, o PT, o Instituto Lula e figuras que gostam de defender a presidente Dilma Rousseff simplesmente sumiram da internet. Depois de mais de duas horas do anúncio feito por Janot, o perfil do PT no Twitter sequer falava do assunto, mas compartilhava manifestações a favor do partido. Dilma até o fechamento desta reportagem não tinha usado suas redes sociais para falar sobre a investigação que pode ser aberta contra ela no STF.

Os melhores vídeos do dia

Rousseff já enfrenta um doloroso processo de Impeachment, já em fase de análise da Comissão do Senado. 

Nenhum dos nomes petistas, no entanto, teve atitude mais curiosa que a do ator José de Abreu, que recentemente, após ser xingado, cuspiu em um casal em um restaurante japonês de São Paulo. Após as manchetes contrárias ao PT, ele simplesmente tirou o seu Twitter do ar. Abreu faz isso sempre que a coisa aperta. De acordo com ele disse recentemente em entrevista ao jornal Extra, a tática é utilizada para evitar de receber inúmeras ameças, algumas até de morte.