Dessa vez foi a comarca de Lagarto no estado de Sergipe a pedir o bloqueio do aplicativo em todo o Brasil. As operadoras tem até as 14 horas da segunda-feira (2) para bloquear o WhatsApp. Segundo a ordem emitida pela vara criminal de Lagarto, o WhatsApp ficará 72 horas fora do ar e seus usuários serão impedidos de utilizar o aplicativo.

Aplicativo ficará 3 dias fora do ar

Tudo isso porque a Justiça busca acessar conteúdos de conversas de pessoas investigadas por crimes na cidade de Lagarto. A justiça expediu um pedido de acesso aos dados dos investigados à empresa, que também é dona do Facebook.

O pedido foi realizado três vezes e em nenhuma delas foi cumprido.

Não há possibilidade de acesso as mensagens do aplicativo, seja pela justiça ou pelo governo. Isso porque o aplicativo conta com um sistema de criptografia que até os técnicos do aplicativo não possuem acesso. As medidas impostas por Mark Zuckerberg, diretor geral do Facebook, visam proteger o usuário de diversos crimes que podem ser cometidos contra ele.

O primeiro é a violação da privacidade, algo muito difuso ainda no ambiente virtual.

A medida do WhatsApp em proteger os dados de seus clientes com a criptografia é um marco na história das políticas voltadas para o meio online.

Em novembro de 2014, o WhatsApp chegou a ser bloqueado no Brasil por 24 horas, e após a manifestação dos usuários na internet a justiça revogou a proibição.

O aplicativo incorporou recentemente em sua base de dados um novo sistema de criptografia chamado 'ponta a ponta', Através dessa tecnologia o usuário ganha mais liberdade, autonomia e privacidade, onde seus dados jamais poderão ser utilizados contra si mesmo.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia WhatsApp

Apple enfrenta problema semelhante nos EUA

A Apple enfrenta problema semelhante ao do WhatsApp no Brasil, que deixará de funcionar nessa primeira segunda-feira de maio. A gigante produtora de smartphone está sendo processada pela justiça americana que busca ter acesso ao Iphone de um atirador que matou 14 pessoas na Califórnia no ano passado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo