O Tribunal de Contas da União (TCU) disse que a presidente afastada Dilma Rousseff cometeu pelo menos 17 indícios de irregularidades somente em 2015 nas contas do #Governo. O maior deles teria sido criar um registro novo de crédito para operação, que é proibido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 10, pelo jornal 'O Globo'. O relatório feito TCU será debatido na próxima quarta-feira, 15, pela Comissão do impeachment do Senado. Lembrando que, até o momento, Rousseff nega que tenha cometido qualquer atitude criminosa. 

O relatório já foi encaminhado ao Ministro José Múcio Monteiro, que analisa as contas do governo federal.

Ele é quem dirá quais irregularidades, quantas delas ou se elas serão apresentadas no Plenário na quarta-feira. De acordo com 'O Globo', José Múcio Monteiro deve propor 30 dias para que Rousseff se explique. Fala-se nos bastidores que o relatório deve indicar uma nova reprovação das contas da petista, principal motivo que levou a seu processo de impedimento. Caso isso ocorra, as coisas devem ficar complicadas para Dilma, que avalia precisar de seis votos para reverter o impeachment. 

A Votação no Senado que julgará se Dilma será ou não deposta está "pré-marcada" para os dias 01 e 02 de agosto. São necessários 54 votos para que ocorra a deposição. Além de sair do governo, Rousseff pode ficar até oito anos sem poder concorrer a nenhum cargo público. Por isso, ela tem tentado convencer seu eleitorado e novas pessoas de que é capaz de ter poder de governo, desde que retorne ao posto de presidente. 

Além disso, com a rejeição das contas no TCU, a petista tem dois problemas importantes para se defender.

Os melhores vídeos do dia

Isso porque retornando ao governo, ela ainda poderia ser alvo de um novo pedido de impedimento. Além disso, o que aconteceria com o presidente em exercício Michel Temer? A situação nova na política brasileira fez todos nós falarmos mais de política. Além de falar, no entanto, é necessário correr atrás e cobrar as promessas e os erros feitos. Dilma será cobrada.  #Dilma Rousseff