A Polícia Federal deflagrou na última terça-feira (21), a Operação Turbulência, e o único foragido da operação, Paulo Cesar de Barros Morato,foi encontrado morto por agentes da Polícia Federal na noite dessa quarta-feira (22), num motel localizado na cidade de Olinda, em Pernambuco.

As investigações da Operação Turbulência analisam o esquema de corrupção e lavagem de dinheiro que envolveram a compra do avião Cessna Citation PR AFA, que caiu em 2014.

A queda do avião matou sete pessoas, entre elas, o candidato à presidência e ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB-PE).

Paulo Cesar de Barros Morato estava foragido e seria o proprietário da empresa Câmara & Vasconcelos, que é apontada por ter envolvimento na compra do avião.

As investigações também apontam que o avião que caiu pode ter servido para “irrigar”, a campanha presidencial da chapa de Campos e Marina Silva, em 2014.

Além de 2014, a Polícia Federal também acredita que também houve o mesmo esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na eleição para governador de Pernambuco em 2010, na qual Eduardo Campos foi eleito.

Polícia Federal informou que investigação da morte ficará a cargo da Polícia Civil

Por meio de nota, a Polícia Federal informou que não poderá fazer as investigações da causa da morte de Paulo Cesar de Barros Morato.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

A nota afirma que caberá àPolícia Civil do estado de Pernambuco investigar o que ocasionou a morte do empresário.

Porém, se porventura durante o percurso das investigações da Polícia Civil, alguma circunstância apontar que haja vínculo com os acontecimentos e fatos que estão sendo investigados na Operação Turbulência, a Polícia Federal intervirá no caso e tomará a frente da investigação.

De acordo com reportagem da "Folha de São Paulo", a hipótese de suicídio está sendo ventilada e será investigada junto com outras hipóteses que estão sendo estudas pelos investigadores.

Donos do avião já foram detidos pela Polícia Federal

A Polícia Federal já prendeu os empresários que eram os donos do avião. João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, Eduardo Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira eram os donos do Cessna Citation PR-AFA. Toda a investigação teveinício através da compra do avião e gerou um efeito cascata até chegar nas operações ilegais e criminosas feita por esse grupo de pessoas.

O PSB nega todas as acusações e garante que a campanha eleitoral de 2014 foi feita dentro da legalidade.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo