A adolescente de 13 anos estuprada no Rio de Janeiro nesta última quarta-feira (22) é mais um caso que assusta a "Cidade Maravilhosa" e deixa o Brasil todo indignado. A menina foi abusada sexualmente por um homem que estava armado com uma faca e o crime ocorreu em uma alameda na zona oeste da cidade.

A jovem tinha saído da escola de dança que fica no bairro Recreio dos Bandeirantes quando foi surpreendida pelo estuprador.

Ela foi socorrida pela população local, mas o criminoso fugiu a tempo deserpreso.

A alameda Sandra de Faria Alvim fica bem próxima à praça Carlos Gardel e a menina estava sozinha no momento do ataque. Ela passava por um local onde há muitas árvores e mato, bem parecido com um bosque. É um lugar bonito, de muito verde, mas que está cada vez mais perigoso. A população disse que vem há anos pedindo iluminação para toda a região, mas em vão e o resultado é mais um crime bárbaro.

Testemunhas informaram que casos como este estão se tornando cada vez mais frequentes e o mesmo homem que estuprou a menina de 13 anos também já atacou uma outra moradora do bairro há cerca de duas semanas quando ela estava levando seus cães para passearem. O estuprador agarrou a mulher e chegou a ameaçar um dos cães, caso ela gritasse.

A Polícia já iniciou as investigações para tentar chegar ao culpado, mas os moradores sabem que não basta prender este homem, pois novos crimes poderão acontecer se o local continuar abandonado pelo poder público.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Como a região conta com várias câmeras de segurança, a polícia já começou a solicitar as gravações das imagens para ver se consegue alguma pista. De acordo com a Polícia Civil, a menina violentada foi encaminhada ao IML onde realizou exame de corpo de delito.

Só nos últimos 3 meses foram registrados mais de 10 casos de estupros na região, sem contar os ataques e aqueles que não são registrados, já que muitas mulheres ainda continuam preferindo não procurar a polícia, por medo ou vergonha de ser identificada.

A polícia não informou se vai reforçar o patrulhamento na região, enquanto isto as pessoas devem evitar passar pelo local sozinhas e principalmente à noite.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo