Repórteres dojornal "Gazeta do Povo", do Paraná, estão recebendo inúmeros processos por conta de uma reportagem em que comentam a respeito de "supersalários" que os Juízes recebem, ultrapassando o teto do funcionalismo público. Diante da reportagem, os magistrados ficaram revoltados e começaram a abrir processos pedindo indenização por danos morais. Os cinco jornalistas responsáveis pela notícia sobre os juízes e promotores têm sido obrigados a viajarem diversas vezes para cumprirem convocações de audiências.

Ao todo, os pedidos somam R$ 1,3 milhão em indenizações. O jornal acredita que isso é uma intimidação à imprensa, pois todos os jornalistas são livres para opinarem e discutirem suas posiçõesmediante fatos descritos e estabelecidos, além de comprovados. De acordo com a Amapar (Associação dos Magistrados do Paraná), os juízesapenas exerceram seus direitos e negam qualquer intimidação à imprensa.

Reclamação

Os juízes e dois promotores de Justiça do Paraná reclamam que foram "ridicularizados" pelo jornal e entraram com 36 ações, até agora, envolvendo 15 cidades do Estado.

A reportagem mostrou detalhes de que os juízes recebem "supersalários". Essa notícia foi divulgada em fevereiro, e através de dados públicos compilados, os jornalistas chegaram a uma soma de benefícios em que a remuneração total dos magistrados ultrapassam os limites do funcionalismo público. A Amapar comentou na época que os pagamentos estavam dentro da lei, pois as férias e o 13° nãosão contados na soma ao teto. O jornal declarou que estava apenas debatendo o teto constitucional, nada mais que isso.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Condenação

Os jornalistas já foram condenados, num primeiro momento, em R$ 20 mil. O julgador teve essa decisão pois achou que o jornal agiu de maneira equivocada e teve "atuação descuidada". Em resposta, a defesa do jornal fala em "ação coordenada" e tentativa de intimidação. A defesa ainda recorreu ao Supremo Tribunal Federal para suspender as ações, mas não houveêxito. A ANJ (Associação Nacional dos Jornais) declarou apoio à"Gazeta do Povo" e repudiou o que está acontecendo, dizendo que isso é uma ofensa à liberdade de imprensa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo