Michel Temer prometeu encaminhar ao MEC pedidos de propostas de combate à ideologia de gênero nas escolas e a defesa da família tradicional. O pedido foi feito por 33 pastores, liderados pelo bispo da Igreja Sara Nossa Terra, Robson Rodovalho. Eles querem que as políticas públicas do governo em geral e o Ministério da Educação sigam com esses nortes.

Recentemente, a bancada evangélica fez um pedido de inclusão do criacionismo nasescolas públicas, bem como a retirada de tudo que seja ligado a religiões africanas e indígenas do currículo escolar.

A atitude foi criticada pela presidente da APEOSP (Associação dos Professores do Estado de São Paulo), Maria Isabel. Bebel, como é conhecida, afirmou que a bancada evangélica está tentado impor princípios religiosos, sendo que o Brasilé laico.

Para ela, isso não contribuiria com a autonomia intelectual dos alunos, sendo uma demonstração de autoritarismo por parte do governo, se aceitar essas propostas.

Esses pensamentos ditatoriais, segundo ela, são princípios evangélicos e denominacionais, que vão contra o objetivo da escola, que é proporcionar aprendizado sobre diversas culturas, diversidade, promovendo liberdade e respeito.

Bebel acredita que isso acabaria com o diálogo nas escolas, reforçando a intolerância às diferenças existentes na sociedade, sendo uma violação à democracia.

Em contrapartida, a vereadora pastora Léia (PSD) apresentou um projeto de lei, na Câmara da cidade de Joinville/SC, que visa incluir no sistema de ensino do município o Programa Escola sem Partido, proporcionando liberdade de crença e neutralidade ideológica, religiosa e política.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Michel Temer Religião

Desse modo, os pais se responsabilizam por educar moralmente os filhos de acordo com suas convicções, fora da escola.

A função do professor, de acordo com esse projeto de lei, seria ensinar e não doutrinar, proporcionando aos alunos um espaço livre para debates, sem preconceitos, em uma democracia. Assim os temas econômicos, políticos e socioculturais devem ser mostrados em suas diversas perspectivas.

Qual sua opinião?

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo