Um aluno de escola pública do Brasil virou notícia em todo o mundo. Aos 16 anos, Kelvin Márcio Sales Pereira, criou uma nova fórmula da química. Estudante de uma escola militar do Amazonas, ele virou meme nas redes sociais, após fazer o que nem professores conseguiam, simplificar um problema. O menino, como relata uma matéria escrita pelo site da revista Veja nesta quarta-feira, 14, estava olhando para o quadro, quando alguma coisa aconteceu em sua mente. Ele pensou em um número e tentou colocar aquele pensamento em prática. Não demorou muito para que ele conseguisse fazer um complexo problema tornar-se algo bem mais simples.

Na entrevista, o aluno da 'Fórmula Kelvin' diz que isso ajuda e muito na indústria e no vestibular, é claro, pois a pessoa perde menos tempo fazendo uma conta.

A base do cálculo dele consiste em pegar a base de um problema e multiplicar por um número específico. Mais sobre a descoberta do menino não pode ser revelado, pois ele tem planos de registrar sua conquista na comunidade científica internacional. "Acredito que Deus me enviou o número certo e eu cheguei à fórmula final", respondeu o garoto ao lembrar daquele momento em que estava a produzir sua criação mais célebre até agora.

Enquanto não registra sua conquista, Kelvin estuda. Ele tem o sonho de passar no vestibular de medicina, um dos mais concorridos. Mas não apenas isso. O garoto quer dividir seu conhecimento. Ele tem a ideia de criar um portal na internet, no qual dividirá seus conhecimentos com outros alunos. O estudante amazonense diz que já registrou a sua fórmula em cartório. Ela encurta o caminho para se achar um número conhecido como NOX, que é o de Oxidação de um metal eletrolisado.

Os melhores vídeos do dia

Essa palavra de nome estranho significa apenas que aquele metal está recebendo uma transformação ou reação química. Esse tipo de conta maluca, que a maioria das pessoas nunca usará na vida, é muito comum no vestibular. Até, por isso, a fórmula pode ajudar muitos estudantes a fazerem seus cálculos muito rápidos. #Religião #Ciência