Nesta quarta (14), Dilma completa 69 anos. De ex militante da guerrilha armada a primeira mulher eleita presidenta do Brasil, Rousseff tem uma trajetória marcada por luta, resistência e coragem.

Nascida em Belo Horizonte em 14 de dezembro de 1947, Dilma Vana Rousseff ingressa na militância Política aos 16 anos em 1964. Junta-se à Organização Polop (Política Operária), fundada em 1961 e proveniente do Partido Socialista Brasileiro.

Devido às divergências de metodologia quanto à forma de resistência, opta pela luta armada, ficando no grupo que deu origem ao Colina (Comando de Libertação Nacional).

Aos 21 anos e cursando Ciências Econômicas na UFMG, conhece o primeiro marido, Galeno de Magalhães Linhares. Os dois mudam-se para o Rio de Janeiro e algum tempo depois - quando Galeno é transferido para o aparelho em Porto Alegre - Dilma conhece o advogado gaúcho Carlos Franklin Paixão de Araújo, que viria a ser seu esposo e pai de Paula, sua única filha.

Com a fusão do Colina e VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), que posteriormente se tornaria VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária Palmares), Dilma é enviada a São Paulo e fica responsável pela segurança das armas de seu grupo, passando a viver em uma pensão simples na zona leste paulistana. A VAR-Palmares é responsável pelo assalto ao "cofre do Adhemar". A operação rendera a guerrilha US$ 2,4 milhões-oriundos de jogo do bicho e outras atividades ilícitas de Adhemar de Barros.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Política

Prisão e tortura

Em janeiro de 1970, Dilma é presa e levada para a OBAN (Operação Bandeirantes) onde é torturada com socos, palmatória, choques elétricos e pau-de-arara por vinte e dois dias. Chega a se encontrar com o companheiro Carlos -que fora preso em agosto de 1970 - durante o processo militar que ambos respondem e quando presos no presídio Tiradentes, em São Paulo. É condenada em primeira instância a seis anos de detenção, e havendo cumprido três anos da sentença, sua pena é reduzida a dois anos e um mês pelo Superior Tribunal Militar.

Ao sair da prisão em 1973, vai para Porto Alegre e conclui o curso de Economia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Sua militância é retomada através do Iepes (Instituto de Estudos Políticos e Sociais), ligado ao MDB (Movimento Democrático Brasileiro), único partido de oposição legalizado e mesmo não sendo filiada ao partido, Dilma organiza debates e palestras com intelectuais.

Carreira política e ministérios

Em 1979, após a lei da anistia, Dilma ajuda a fundar o PDT junto a Leonel Brizola.

Ocupou os cargos de secretária da Fazenda da Prefeitura de Porto Alegre, presidente da Fundação de Economia e Estatística do estado do Rio Grande do Sul e secretária de estado de Energia, Minas e Comunicações dos governos Alceu Collares (PDT) e Olívio Dutra (PT).

Entre 2003 e 2005 torna-se ministra das pastas de Minas e Energia, gestão marcada pelos esforços em evitar um novo apagão e e pela implementação do programa Luz Para Todos.

Em 2005, é indicada pelo então presidente Lula a comandar o Ministério da Casa-Civil, em substituição a José Dirceu, envolvido no escândalo do mensalão.

De guerrilheira a presidente

Tendo o presidente Lula como principal cabo eleitoral, em 31 de março de 2010 Dilma se afasta da Casa-Civil para concorrer às eleições presidenciais. Vai para segundo turno com o candidato José Serra (PSDB) e o derrota com 56,05% dos votos válidos. Em seu primeiro discurso, promete honrar as mulheres, proteger os mais frágeis e governar para todos.

Em 2014, em decorrência de manifestações que tomaram conta do país no ano anterior, Dilma é vaiada durante os jogos da Copa do Mundo e recebe duras críticas por sua gestão. Entretanto, ela vence em segundo turno as eleições daquele ano e derrota o seu principal opositor, Aécio Neves. Incitados pelo candidato derrotado e pela mídia conservadora, parte dos brasileiros passam a exigir o impeachment da presidente, que tem seu mandato cassado em 31 de agosto de 2016.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo