Saiu a sentença do hacker que chantageou a primeira-dama Marcela Temer, ameaçando que poderia destruir a carreira política de Michel Temer e jogar seu nome na lama. O hacker Silvonei José de Jesus Souza foi condenado a cinco anos e dez meses de prisão, em regime fechado, pelos crimes de estelionato e extorsão e suas ameaças e chantagens como "jogar na lama" foram definidas como fora do contexto.

Conteúdo comprometedor

Segundo a informação que estava sendo divulgada na imprensa na época, o hacker clonou o celular de Marcela Temer e ameaçava divulgar uma suposta conversa dela com o irmão sobre um marqueteiro do presidente Michel Temer (PMDB), que na época ainda era vice.

Também foi divulgado na mídia e jornais que o hacker estava chantageando a primeira-dama, cobrando pelo menos R$ 300 mil para não divulgar a foto dela com o irmão, mas ela procurou se manter neutra, afirmando que o conteúdo era montagem. Inclusive, na época, correram boatos que o hacker estava ameaçando divulgar fotos íntimas de Marcela, algo que não chegou a ser confirmado já que a lei Carolina Dieckman, que passou a vigorar quando a atriz foi vítima e teve suas fotos íntimas expostas, passou a proteger os direitos e sigilo dos meios digitais quando violados.

A pena

Silvonei José de Jesus Souza foi condenado em primeira instância por chantagear a primeira-dama exigindo R$ 300 mil para não vazar as supostas fotos comprometedoras e os áudios. A sentença saiu após seis meses e a pena de mais de 5 anos, a ser cumprida em regime fechado, foi questionada pelo advogado do hacker, Valter Bettencort Albuquerque, que defendeu que ele é réu primário e de baixa periculosidade, e a sentença devia ser de prisão em regime aberto ou semi-aberto.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Michel Temer

No seu depoimento, Souza disse que conseguiu hackear os dados de Marcela usando um arquivo de computador que comprou no bairro de Santa Ifigênia.

O hacker, ao manipular os arquivos que tinha em mão, afirmou que sabia que nada daquilo era montagem pois não havia edição nem corte. Marcela teria perdido a paciência e dito: “Bandido, criminoso, minha vida é limpa, não tenho medo de você”.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo