Um caso raríssimo aconteceu em Pernambuco. Uma mãe clinicamente morta (sem sinais vitais) deu à luz a um bebê. O bebê também nasceu sem sinais vitais. Toda a história poderia se encaminhar para um final triste, mas o final é completamente surpreendente.

A equipe médica se mobilizou inicialmente para fazer um parto de emergência e quando o bebê, Michele Santiago, nasceu, não apresentou nenhum sinal vital.

Maisa Santiago, a mãe, teve uma parada cardíaca às vésperas do parto no dia 06 de janeiro. Já Michele nasceu e ficou quase 10 minutos sem sinais de vida.

Esse é o relato do obstetra responsável pelo parto, Gláucius Nascimento. A chance disso ocorrer é 1 em cada 30 mil partos no mundo.

Contam os médicos que foi preciso agir muito rápido, pois o quadro de pré-eclâmpsia da mãe era muito grave. Trata-se de uma hipertensão na gravidez. A mãe conta que sentiu uma queimação sobre seu corpo, a respiração ofegante e a pressão estava em 16 por 10 (pressão muito alta). Depois disso, ela vomitou e teve a parada cardíaca em meio à agonia.

A equipe médica agiu brilhantemente, focando no parto cesárea primeiro, tentando salvar ambas.

E conseguiram.

Gláucius disse que foi uma "operação de guerra". Se não tivesse instrumentos corretos para agir, agiria com o que tivesse em mãos. Mas, por sorte, estavam dentro de um hospital com tudo que era preciso. E isso salvou a vida das duas.

A situação do bebê

O bebê foi tirado com morte aparente. No primeiro minuto, Michele recebeu oxigênio e começou a responder e em cerca de 05 minutos o bebê já apresentava sinais vitais recuperados. O médico diz que ao ouvir o choro do bebê, houve uma alegria contagiante.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Saúde

Quando o médico costurava o útero, foi possível perceber alguma atividade cardíaca da mãe. Com isso, foi feito o procedimento comumente visto em "filmes", o de choque ou cardioversão, que faz com que o músculo cardíaco volte a responder. E conseguiram. Maísa respondeu e sobreviveu.

Dada a circunstância do caso, Michele (bebê) ainda está internada e acompanhada por pediatras.

Alívio da Família

Sandra Santiago, a mãe e vó das protagonistas da história disse que a alegria foi maior de que quando ganhou a sua filha.

Afirma ela que a alegria foi dobrada. "Elas nasceram de novo"

Após alguns dias na UTI, mãe e filha tem estado de saúde considerado muito bom e já se encontram na enfermaria. "Foi um final feliz", afirma a coordenadora do hospital, Helaine Rosenthal.

Assista ao milagre.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo