A imprensa paranaense noticiou a queda de um helicóptero no bairro Estação, em Araucária, região metropolitana de Curitiba (PR), na sexta-feira (17), às 15h15. O acidente deixou quatro feridos, um estado grave e nenhuma vítima fatal. O trabalhador em estado grave é técnico da Transpetro, subsidiária da Petrobras; outro mecânico, um motorista da Icaraí Táxi Aéreo e o piloto.

Até o momento, não foi divulgada as causas da queda da aeronave PR-423. O socorro chegou rapidamente, pelas equipes da Guarda Municipal (o primeiro atendimento), do Corpo de Bombeiros e dos helicópteros da Polícia Militar e da Polícia Civil, que transportaram as vítimas para o Hospital do Trabalhador, o Hospital Evangélico e para o Hospital do Rocio.

“O que sabemos é que o piloto foi muito feliz porque conseguiu passar pelo meio dos postes e fios de luz, passar pela área de moradias e aterrissar na parte do canteiro. Isso evitou que o acidente fosse ainda pior”, informou o capitão Nelson Stocchero à imprensa local. Ele completou que este foi o primeiro acidente dessa natureza na cidade, e que revelou a eficiência a das equipes que prestaram o socorro. O acidente foi por volta das 15h15 e a imprensa, às 15h41, noticiava o ocorrido com as equipes em atividade.

Foi noticiado, ainda, que o prefeito de Araucária, Hissam Hussein Dehaini, disse à imprensa que tanto a aeronave como a empresa Icaraí Taxi Aéreo, dona do helicóptero, eram de sua propriedade [prefeito] e que as vendeu há três anos. Ele esteve na região do acidente e disse que irá aguardar o relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) sobre o caso.

Segundo informou a Federação Única dos Petroleiros (FUP), às 23h de sexta-feira (17), o helicóptero foi fretado pela Transpetro.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Petrobras

A federação manifestou, também, sua preocupação com o número de acidentes ocorridos no Sistema Petrobras e que este ocorreu a 16 dias da queda de outro aparelho na plataforma P-37, na Bacia de Campos, conforme noticiado.

A FUP acrescentou, ainda, que o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro-PR/SC) informou que o trabalhador da Transpetro, um dos feridos, trata-se de Miguel Adriano, técnico em manutenção de dutos da subsidiária da Petrobras, bem como dois outros trabalhadores são terceirizados da Transpetro.

O Sindipetro-PR/SC confirmou que Miguel Adriano, o trabalhador mais gravemente ferido, é o técnico da Transpetro. Ele teve duas fraturas na coluna, lombar e cervical. Está sendo atendido numa Unidade de Atendimento Intensivo (UTI), sem risco de vir a falecer.

Indignada, a FUP comentou: "Este acidente traz mais preocupação e indignação à categoria. Enquanto os petroleiros correm riscos diários em função da insegurança crônica que afeta todo o Sistema Petrobras e que piora dia após dia com o desmonte da empresa, os gestores tentam implantar goela abaixo da categoria um sistema de consequências para transferir para os trabalhadores a responsabilidade pelos riscos que eles nos impõem".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo