Antes de falarmos sobre a medida judicial, é necessário esclarecer algumas dúvidas sobre a Previdência Social. Desde o final de 2016, estamos acompanhando o drama da população e a sua rejeição com a Reforma da Previdência, que é a proposta de Michel Temer com base no projeto "Ponte para o Futuro".

Segundo o atual Governo, a Previdência está com um déficit enorme e para evitar que ela quebre, o governo quer mudar a constituição com uma certa urgência, por isso os aliados do governo o apoiam e ressaltam a importância das medidas, já a oposição fez duras críticas e considerou a reforma como "um pacote de maldades com a classe trabalhadora".

A nova proposta trouxe grandes mudanças na forma de contribuição e na forma que você passará a receber o benefício. A partir de agora, a idade mínima para se aposentar será de 65 anos + 25 anos de contribuição. Para o aposentado ganhar 100% do benefício, ele terá que contribuir por 49 anos.

Por questões de expectativa de vida, condições de trabalho e oferta de emprego, o trabalhador rural não precisava ser contribuinte para receber a aposentadoria, agora será necessário, ou seja, essa medida afetará 99% da população campestre.

A contribuição é a única forma da Previdência Social obter recursos? Não!

Hoje existem mais três maneiras da Previdência Social obter dinheiro, recebendo tributos pelas empresas, Lotéricas (Mega Sena) e a taxação de importação. Os especialistas afirmam que a Previdência não está no vermelho por alguns motivos, o governo não cobrou as grandes empresas que devem milhões para a Previdência, chegando a perdoar até algumas dívidas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Onde o DRU (Desvinculação de Receitas da União) aumentou de 20% para 30% isso quer dizer que, 30% do dinheiro da Previdência estão sendo gastos com outras despesas e convenhamos, não tem como tirar recursos daquilo que está "sem dinheiro".

Por que a Justiça Federal mandou suspender a propaganda do "Minuto da Previdência"?

A juíza federal de Porto Alegre, Marciane Bozanini, determinou que fossem retiradas todas as propagandas veiculadas a qualquer tipo de mídia falando da reforma da Previdência.

Para a juíza, o governo não deveria de forma alguma ter usado recursos públicos para fazer a propaganda.

O Governo Federal gastou milhões com duas empresas de marketing e publicidade, que foram contratadas para criar o "Minuto da Previdência" e falar que a reforma era a única saída para solucionar os problemas e o déficit causado.

Por isso, a juíza solicitou do Governo Federal uma contrapropaganda, a medida alegou que a propaganda do governo violou o caráter informativo, educativo e de orientação social, já que ela apresentou informações falsas sobre a receita da previdência. Também foi movida uma ação por sindicatos do Rio Grande do Sul, que estabeleceu uma multa diária de R$ 100.000 caso a decisão e não fosse cumprida.

O que os aliados dizem da Reforma da Previdência?

Em uma entrevista, o prefeito de Salvador, ACM Neto, saiu em defesa da proposta, afirmando categoricamente que faria a mesma coisa caso ele fosse presidente do Brasil e que essas medidas eram extremamente necessárias e devem ser aprovadas com urgência.

Já o prefeito de São Paulo, João Doria, em uma entrevista nesta segunda-feira (24), defendeu as medidas do governo, e fez uma forte crítica à oposição, aos críticos e disse que "quem pensa o contrário, pensa pequeno" e ainda comentou: "As pessoas de bem, pensam no Brasil, com grandeza e não de forma pequena e particularizada, [os brasileiros] querem e aprovam sim a reforma da previdência e a trabalhista".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo